PUBLICIDADE

Cobertor, baralho e navalha: os curiosos itens do Titanic que vão a leilão

Itens incluem uma série de documentos relacionados ao famoso ator Errol Flynn que pertencia a uma socialite norte-americana.

7 abr 2022 - 20h29
(atualizado em 8/4/2022 às 06h28)
Ver comentários
Publicidade
Entre os itens, um cobertor da companhia do Titanic e cartas para o lendário ator Errol Flynn
Entre os itens, um cobertor da companhia do Titanic e cartas para o lendário ator Errol Flynn
Foto: BBC News Brasil

Vários itens pertencentes a sobreviventes do Titanic serão leiloados em Belfast, Irlanda do Norte, no final deste mês.

Os objetos serão vendidos nas proximidades do local onde o navio foi construído, o estaleiro Harland and Wolff, em 1912.

A companhia White Star Line quis fabricar à época uma das mais luxuosas embarcações da história.

O navio chegou a ser descrito como "impossível de afundar".

Mas o Titanic naufragou depois de colidir com um iceberg justamente em sua viagem inaugural, entre Southampton (Inglaterra) e Nova York (EUA). Mais de 1.500 pessoas morreram na tragédia.

Os itens que vão a leilão incluem um cobertor para passageiros no convés e uma caixa de pequenos itens e quinquilharias - ambos teriam pertencido a uma sobrevivente do Titanic chamada Margaret "Molly" Brown.

Ela foi uma socialite norte-americana e ativista pelos direitos de mulheres, crianças e trabalhadores. Depois do naufrágio, ela estabeleceu o Comitê de Sobreviventes, arrecadando milhares para aqueles que ficaram desamparados pelo desastre.

Itens associados à sobrevivente Elsie Bowerman também serão vendidos
Itens associados à sobrevivente Elsie Bowerman também serão vendidos
Foto: Bloomfield Auctions/Darren Kidd/Presseye / BBC News Brasil

Itens associados a Molly Brown e a outra sobrevivente, Elsie Bowerman, estarão à venda.

Karl Bennett, diretor administrativo da Bloomfield Auctions, citou alguns dos objetos: "O cobertor de Molly para uso no convés, com o bordado da White Star Line, assim como uma caixa para abrigar pequenos objetos que foi dada a Molly por seu marido na volta para casa".

"Também temos uma medalha da Legião de Honra incrustada de diamantes que foi concedida a Molly pelos franceses por seus esforços de caridade durante a Primeira Guerra Mundial.

"Acompanha esses itens uma série de documentos relacionados ao famoso ator Errol Flynn. Também estão entre os itens de Molly."

Ele acrescentou: "Também temos um cartão postal de Elsie Bowerman, que curiosamente estava no mesmo bote salva-vidas de Molly, bem como um lenço xadrez e um baralho de cartas Patience que pertenciam a ela".

Caixa com mensagem gravada dada a Molly Brown por seu marido no seu retorno a Nova York: "À minha amada esposa Margaret Brown. 'Deus poupou você e assim prevalece o nosso amor'. Em ocasião de seu seguro retorno. Seu eternamente, J. J."
Caixa com mensagem gravada dada a Molly Brown por seu marido no seu retorno a Nova York: "À minha amada esposa Margaret Brown. 'Deus poupou você e assim prevalece o nosso amor'. Em ocasião de seu seguro retorno. Seu eternamente, J. J."
Foto: Bloomfield Auctions/Darren Kidd/Presseye / BBC News Brasil

"Alfred Evans era um dos vigias do Titanic que estava de serviço na noite do naufrágio.

"Temos uma navalha que lhe pertenceu com a inscrição Oceanic 1911.

"Uma navalha idêntica, de propriedade de outro tripulante, foi apresentada pelo mordomo sobrevivente F Dent Ray à Sociedade Histórica do Titanic em Massachusetts."

O Titanic bateu contra um iceberg na noite de 14 de abril de 1912, às 23h40. O transatlântico começou a inundar com milhares de toneladas de água congelan

Thomas Andrews, que estava a bordo, foi quem projetou o navio. Depois de inspecionar os danos causados pela colisão, ele confirmou ao capitão que eles iam afundar.

"Venham já. Nos chocamos contra um iceberg", avisou o operador de comunicações do Titanic, Jack Phillips, a outro navio, o Carpathia.

"Nós batemos em um iceberg e afundamos na proa", escreveu a tripulação do Titanic ao Frankfurt, um navio alemão.

Às 2h10, a energia caiu e o sistema de comunicação foi desligado. A proa estava totalmente submersa e a popa, inclinada.

Por volta das 2h20, o navio se dividiu em dois e as duas metades começaram a descer até o fundo do Oceano Atlântico.

Menos de duas horas após o naufrágio, o Carpathia chegou à área e resgatou 700 sobreviventes que conseguiram escapar em botes salva-vidas — e que só tinham capacidade para metade das pessoas a bordo.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade