2 eventos ao vivo

Candidato de centro-direita é eleito prefeito de Corleone

Cidade é o berço do clã mais sanguinário da Cosa Nostra

27 nov 2018
14h33
  • separator
  • comentários

O candidato de centro-direita Nicolò Nicolosi foi eleito prefeito da pequena cidade italiana de Corleone, berço do clã mais sanguinário da Cosa Nostra e que passou dois anos sem governo por causa de infiltrações da máfia no poder público.

Nicolò Nicolosi recebeu quase o dobro de votos do segundo colocado
Nicolò Nicolosi recebeu quase o dobro de votos do segundo colocado
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Nas eleições do último domingo (25), Nicolosi recebeu 3.587 votos, superando Maurizio Pascucci, do antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), com 1.830, e Salvatore Antonino Saporito, de centro-esquerda, com 1.006.

Dos 10.814 eleitores, 6.611 foram às urnas, o que representa uma afluência de 61,13%. "O resultado das eleições é uma vitória para a cidade. Os corleoneses acordaram e deram a nós a tarefa de conduzir Corleone rumo a novos objetivos", disse Nicolosi.

Situada na região da Sicília, a cidade é a terra natal de Salvatore "Totò" Riina (1930-2017), o mais sanguinário dos líderes da Cosa Nostra e chefe do clã dos Corleone entre 1982 e 1993, quando foi preso.

Riina instaurou uma era de terror na Sicília e comandou a luta armada contra o Estado no início dos anos 1990, período marcado por recorrentes atentados nas principais cidades do país, como aqueles que mataram os juízes antimáfia Giovanni Falcone e Paolo Borsellino, em 1992.

Após sua prisão, a liderança da Cosa Nostra fora das grades passou para Bernardo Provenzano (1933-2016), que iniciou a "pacificação" entre as facções da máfia e tentou tirar o crime organizado dos holofotes ligados por Riina. Os dois mafiosos estão sepultados em Corleone.

A prefeitura da cidade havia sido dissolvida em agosto de 2016, por ordem do Ministério do Interior da Itália, após a descoberta do direcionamento de licitações para beneficiar grupos mafiosos. 

Ansa - Brasil   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade