PUBLICIDADE

América Latina supera meio milhão de mortos pelo coronavírus

29 dez 2020 19h06
| atualizado às 19h10
ver comentários
Publicidade

As mortes pela covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, superaram nesta terça-feira a marca de meio milhão na América Latina e no Caribe, uma das regiões mais atingidas pela pandemia, onde o número de casos chegou à marca de 15 milhões durante as festas de final de ano, segundo números da Reuters.

Homem que morreu de Covid-19 é sepultado no cemitério de Vila Formosa, em São Paulo, no Natal
25/12/2020
REUTERS/Amanda Perobelli
Homem que morreu de Covid-19 é sepultado no cemitério de Vila Formosa, em São Paulo, no Natal 25/12/2020 REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Reuters

Entre o rio Grande e o cabo de Hornos, o contágio acelerou desde meados de dezembro e está no ponto mais alto da crise, com mais de 80 mil casos por dia, de acordo com uma média semanal que inclui 115.043 casos no dia 17 de dezembro.

Desde a primeira morte reportada no Equador, em março, 500.634 pessoas morreram e 15,33 milhões foram infectadas desde que foi notificado o primeiro caso no Brasil, em 26 de fevereiro.

As cifras compiladas pela Reuters se baseiam em relatórios oficiais dos governos.

Quase 2 mil pessoas estão morrendo diariamente, segundo a média móvel semanal, número menor que as mais de 3 mil mortes de meados de agosto, mas ainda assim o mais alto dos últimos dois meses.

Mais de um terço das mortes aconteceram no Brasil e mais de um quarto no México, mas na Colômbia as fatalidades estavam aumentando até chegar a 200 por dia, enquanto no Chile os contágios estão no maior pico desde julho.

Autoridades de Saúde da região mostraram sua preocupação pelo impacto que as festas de final de ano podem ter nos sistemas de Saúde que ficaram sobrecarregados em meados de 2020 e enquanto começam lentamente os processos de vacinação em alguns países.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade