PUBLICIDADE

Acordo de licença global fornecerá exames de anticorpos de Covid gratuitos a países pobres

23 nov 2021 11h21
ver comentários
Publicidade

Um acordo de licença global da tecnologia sorológica que detecta anticorpos de Covid-19 será oferecido sem cobrança de direitos autorais a países pobres e de renda média, o primeiro do tipo concebido para aumentar a produção, anunciou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta terça-feira.

Logo da OMS do lado de fora de sede da entidade em Genebra
06/04/2021 REUTERS/Denis Balibouse
Logo da OMS do lado de fora de sede da entidade em Genebra 06/04/2021 REUTERS/Denis Balibouse
Foto: Reuters

Os quatro exames existentes, que verificam a presença de anticorpos do SARS-CoV-2 desenvolvidos depois de uma infecção ou de uma dose de vacina, também poderiam contribuir para decisões sobre a necessidade de vacinas de reforço para proteger contra a doença, disse a agência em um comunicado.

O acordo de licenciamento não-exclusivo firmado com o Conselho Nacional Espanhol de Pesquisa (CSIC), um instituto público de pesquisa que oferece a tecnologia como um bem público global, é a primeira licença de exame assinada pelo Grupo de Patentes de Medicamentos da OMS.

"O objetivo da licença é facilitar a manufatura e a comercialização rápidas do exame sorológico de Covid-19 do CSIC em todo o mundo", disse a OMS.

"A licença não terá cobrança de direitos autorais em países de renda baixa e média e valerá até a data da última patente vencer."

Os exames são simples de usar e adequados até para localidades rurais com uma infraestrutura laboratorial básica, acrescentou a OMS.

O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, comemorou o acordo, que ele espera que incentive outros desenvolvedores a compartilhar ferramentas de combate à Covid-19, que já matou 5,4 milhões de pessoas desde que o vírus surgiu na região central da China em dezembro de 2019.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade