PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

Correria e sem gravata: Lula improvisa evento em base aérea para sancionar leis

De última hora, presidente transferiu evento do Palácio após agenda na Bahia; 11 ministros, o vice e Janja se deslocaram às pressas

3 jul 2023 - 20h46
Compartilhar
Exibir comentários
Na pressa, Lula improvisou o figurino: paletó azul marinho, camisa preta, sem gravata, calça cinza e tênis
Na pressa, Lula improvisou o figurino: paletó azul marinho, camisa preta, sem gravata, calça cinza e tênis
Foto: Veja

“Vocês perceberam que eu estou com a calça de uma cor, paletó de outra, sem gravata, não estou com sapato apropriado. Mas tinha que fazer esse ato com vocês”, disse o presidente Lula (PT) durante um evento na Base Aérea de Brasília, na tarde desta segunda-feira, 3. Não foi só o presidente que correu, outros 11 ministros (veja a lista abaixo), o vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB), a primeira-dama, Janja da Silva, e algumas dezenas de convidados e assessores também se desdobraram para estar na Base Aérea de Brasília.

O evento para sancionar lei de igualdade salarial entre homens e mulheres, uma promessa de campanha, foi transferido às pressas do Palácio do Planalto para a base da Aeronáutica, a 17,5 km de distância, em razão da agenda de viagens do presidente. Lula anunciou, pela manhã, a retomada das obras da ferrovia Leste-Oeste, na Bahia e se deslocava para Argentina, onde receberá, nesta terça, 4, o comando temporário do Mercosul.

Na pressa, como ele mesmo confessou o figurino improvisado: paletó azul marinho, camisa preta, sem gravata, calça cinza e tênis. Nos eventos presidenciais, os mandatários costumam vestir traje social completo.

“O fato de ter transferido do Palácio do Planalto pra cá, é porque estou vindo da Bahia, onde fomos anunciar a retomada da ferrovia Leste-Oeste. E daqui vou para Puerto Iguazú, na Argentina. Não vou nem em casa, não tinha tempo de ir ao Palácio. E peço desculpa a vocês pelo transtorno, porque era uma necessidade de tempo”, disse Lula no início do seu discurso.

Setores como o cerimonial e a comunicação da Presidência e dos ministérios mudaram os planos de última hora e correram para transferir o evento de local, assim como a imprensa. Pouco antes de Lula, a ministra das Mulheres, Cida Gonçalves falou da correria para o evento.

“Eu confesso, presidente, vou falar da emoção. Todas essas mulheres estavam prontas para ir para o Palácio [do Planalto]. Em 24 horas a gente teve que dizer que não iríamos mais para o Palácio, que vai ser na Base Aérea. E achei que seríamos só meia dúzia”, disse a ministra sob aplausos.

No ato, que contou com telão, cadeiras para convidados e estrutura de cerimonial, também foi sancionada a lei que altera o Bolsa Atleta e a lei que altera o Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil para inclusir assédio moral, sexual e discriminação como infrações etico-disciplinares.

Ministras

Esporte - Ana Moser

Turismo - Daniela Carneiro

Saúde - Nísia Trindade

Planejamento e Orçamento - Simone Tebet

Gestão - Esther Dweck

Mulheres - Cida Gonçalves

Cultura - Margareth Menezes 

Meio Ambiente - Marina Silva

Povos Indígenas - Sônia Guajajara

Igualdade Racial - Anielle Franco

.

Ministro

Ministro do Trabalho - Luiz Marinho

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade