PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

Alcolumbre marca para 13 de dezembro sabatina de Dino e Gonet

O relator da sabatina de Dino será Weverton Rocha, do PDT-MA; já o senador Jaques Wagner vai ser o relator do procedimento de Gonet

27 nov 2023 - 19h58
(atualizado às 23h19)
Compartilhar
Exibir comentários
Flávio Dino foi indicado pelo presidente Lula para ocupar uma cadeira no STF
Flávio Dino foi indicado pelo presidente Lula para ocupar uma cadeira no STF
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (União Brasil-AP), marcou para o dia 13 de dezembro as sabatinas de Flávio Dino, indicado por Lula (PT) ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), e de Paulo Gonet, que deverá ocupar a Procuradoria-Geral da República. 

A informação foi confirmada em comunicados divulgados pelo senador, indicando que o relator da sabatina de Dino será o senador Weverton Rocha (PDT-MA), do mesmo Estado do atual ministro da Justiça, e de Gonet, o senador Jaques Wagner (PT-BA).

O presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse nesta segunda, 27, que o Senado fará um esforço concentrado, entre os dias 12 e 15 de dezembro, para votar as duas indicações ainda este ano. 

Para serem aprovados na CCJ, Dino e Gonet precisarão ter a maioria dos votos dos 27 senadores da comissão. Durante as sessões, que costumam ser longas, os senadores podem fazer questionamentos sobre diferentes temas aos indicados. Se forem aprovados, seguirão para o plenário, onde precisarão do apoio da maioria dos 81 senadores. É comum que as votações no plenário aconteçam no mesmo dia em que os indicados foram aprovados na CCJ.

Com o anúncio de Lula, Dino começará uma peregrinação ao Senado para conversar individualmente com os congressistas em busca de apoio. “Irei dialogar em busca do honroso apoio dos colegas senadores e senadoras. Sou grato pelas orações e pelas manifestações de carinho e solidariedade”, escreveu o ministro na rede X, antigo Twitter. 

Dino, foi eleito senador em 2022, tomou posse e se licenciou para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública. 

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade