PUBLICIDADE

Simone Tebet anuncia apoio a Lula no 2º turno das eleições

Decisão da candidata derrotada na corrida presidencial evidencia racha no partido

5 out 2022 - 16h11
(atualizado às 20h43)
Compartilhar
Exibir comentários
Simone Tebet anunciou voto em Lula no 2º turno
Simone Tebet anunciou voto em Lula no 2º turno
Foto: Ettore Chiereguini/Agif / Estadão

Candidata à Presidência derrotada no primeiro turno, Simone Tebet (MDB) anunciou nesta quarta-feira, 4, seu apoio a Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que disputa o segundo turno das eleições com Jair Bolsonaro (PL).

Em pronunciamento, Tebet disse que mantém críticas a Lula, mas que depositará nele o seu voto por "reconhecer seu compromisso com a democracia e com a Constituição". "O que desconheço no atual presidente", completou, fazendo menção a Bolsonaro.

A senadora lembrou que se lançou candidata "diante de um País dividido pelo ódio e pela polarização ideológica que não apresentava soluções para os problemas do Brasil", agradeceu os votos que recebeu no pleito e que, diante do que ocorreu no País nos últimos tempos, "não estou autorizada a abandonar as ruas."

Tebet reconheceu que criticou os dois candidatos que disputam o segundo turno - Lula e Bolsonaro -, mas que, "pelo amor ao Brasil e pela democracia", pede desculpas a amigos e companheiros que imploraram a neutralidade de sua parte, "preocupados com seu capital político". Uma das resistências estava, inclusive, na vice de Tebet, a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), que declarou voto em branco.

"O que está em jogo é muito maior do que cada um de nós. Votarei pela minha consciência (...) Não anularei o meu voto, não votarei em branco. Não cabe a omissão", completou Tebet, que citou os quatro anos de governo Bolsonaro como um período em que o Brasil foi "abandonado na fogueira do ódio e desavenças, da negação que atrasou vacinas, da arma que ocupou o lugar dos livros, da mentira que feriu a verdade, e que o conceito de humanidade foi substituído pelo desamor."

Também nesta quarta-feira, o MDB divulgou comunicado no qual libera seus filiados a apoiarem quem quiserem neste segundo turno. 

"Nas últimas 48 horas, dirigentes, congressistas, governadores e prefeitos externaram sua posição com relação à disputa nacional em segundo turno. Por ampla maioria, o MDB decidiu dar liberdade para que cada um se manifeste conforme sua consciência", afirmou o partido em nota assinada pelo presidente da legenda, deputado Baleia Rossi.

Partido rachado

O apoio de Tebet evidencia ainda mais a polarização dentro do MDB. Somente nesta quarta-feira, dois integrantes do partido anunciaram apoios opostos. 

O governador reeleito do Pará, Helder Barbalho, irá apoiar Lula, ao contrário de Ibaneis Rocha, governador reeleito do Distrito Federal, que se reuniu com Bolsonaro nesta quarta-feira e declarou apoio à reeleição do presidente.

Apoios

Desde que confirmou a ida ao segundo turno, Bolsonaro conquistou apoios importantes, como de Romeu Zema (Novo), reeleito em Minas Gerais, de Rodrigo Garcia (PSDB), atual governador de São Paulo e derrotado nas urnas no domingo, e Ratinho Júnior (PSD), que ficará no comando do Paraná por mais um mandato. Além deles, o atual presidente também tem palanque no Rio de Janeiro com a reeleição de Claudio Castro (PL).

Votos

Com a apuração em 100% das urnas eletrônicas, Simone Tebet teve 4,16% dos votos, ou seja, 4.915.423 votos válidos nas eleições em primeiro turno deste ano. 

Disputam o segundo turno Lula, que teve 48,43% (57.259.504) dos votos válidos, e Jair Bolsonaro, com 43,20% (51.072.345). 

Para vencer a eleição em primeiro turno, um dos candidatos precisaria ter alcançado pelo menos 59.113.510 votos para vencer sem precisar disputar o segundo turno, de acordo com levantamento de O Globo.

Com mais 1.855.395 votos, Lula teria sido eleito no primeiro turno. Já o presidente Jair Bolsonaro  precisaria de 8.042.233 votos a mais para ter vencido.

A terceira colocada na disputa presidencial foi Simone Tebet, seguida por Ciro Gomes (PDT), que teve 3.599.201 votos (3,04%). Os outros candidatos somaram menos de 1% dos votos.

O segundo turno das eleições 2022 será no dia 30 de outubro.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade