PUBLICIDADE

Roberto Jefferson atira em agentes da PF para resistir à prisão

Ex-deputado federal teve a prisão domiciliar revogada pelo ministro Alexandre de Moraes

23 out 2022 - 13h44
(atualizado às 16h07)
Compartilhar
Exibir comentários
Ex-deputado Roberto Jefferson teria trocado tiros com agentes da Polícia Federal, segundo sua filha, Cristiane Brasil.
Ex-deputado Roberto Jefferson teria trocado tiros com agentes da Polícia Federal, segundo sua filha, Cristiane Brasil.
Foto: Reprodução/ Instagram/ Roberto Jefferson - 03/08/2021 / Estadão

O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB) trocou tiros com agentes da Polícia Federal na manhã deste domingo, 23. O político disse que não atirou para atingir os agentes, que os disparos foram contra a viatura e perto dos policias. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, uma policial ficou ferida e foi levada para o hospital.

O ministro do STF Alexandre de Moraes revogou a prisão domiciliar de Roberto Jefferson por 'descumprimento de medidas cautelares'. No sábado, o presidente do PTB divulgou ofensas contra a ministra Cármen Lúcia. Em vídeo publicado pela sua filha, ele xingou a magistrada e a comparou com 'prostitutas', 'arrombadas' e 'vagabundas'.

"Eu não vou me entregar. Eu não vou me entregar porque acho um absurdo. Chega, me cansei de ser vítima de arbítrio, de abuso. Infelizmente, eu vou enfrentá-los", afirmou Jefferson em vídeos divulgados nas redes sociais.

 "Mostrar a vocês que o pau cantou. Eles atiraram em mim, eu atirei neles. Estou dentro de casa, mas eles estão me cercando. Vai piorar, vai piorar muito. Mas eu não me entrego", afirmou. 

Prisão

Roberto Jefferson foi preso em agosto de 2021 por ameaças aos ministros do STF, com vídeos em que empunhava armas. Ele ficou no Complexo Prisional de Gericinó, em Bangu, no Rio, mas foi transferido em janeiro deste ano para a prisão domiciliar. A defesa alegou que ele estava com a saúde fragilizada.

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou que o ex-deputado federal e ex-presidente voltasse para a cadeia após ter descumprido as condicionantes de sua prisão domiciliar.

Na última semana, Jefferson apareceu em um vídeo publicado pela filha, a ex-deputada Cristiane Brasil, proferindo ofensas contra a ministra Cármen Lúcia, do STF. O petebista comparou a ministra com uma “prostituta” por ter acompanhado o voto do ministro relator, Alexandre de Moraes, à transmissão de declarações falsas contra Lula, candidato do PT à presidência, pela rádio Jovem Pan.

O ex-deputado é investigado no inquérito que apura a atuação de uma organização criminosa que teria atentado contra a Democracia e as Instituições brasileiras.

Jefferson também foi condenado por participação no esquema do Mensalão em novembro de 2012, a 7 anos e 14 dias de prisão pela venda de votos. Três anos depois, ganhou a liberdade condicional. Em 2008, em audiência na Justiça, confessou ter recebido R$ 4 milhões do esquema.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade