PUBLICIDADE

PT usará 'aval' da ONU para pôr Lula nos debates, diz Haddad

'Nossa ofensiva internacional vai aumentar a partir disso', disse o candidato a vice-presidente na chapa petista

20 ago 2018 16h42
| atualizado às 17h43
ver comentários
Publicidade
Foto: Rodolfo Buhrer/FotoArena / Estadão

O PT irá utilizar a manifestação do Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), que aceitou solicitação para que os direitos políticos de Luiz Inácio Lula da Silva sejam preservados, para tentar garantir o ex-presidente nos debates na TV como candidato da sigla à Presidência da República nas eleições 2018.

"Vamos ingressar na justiça com esse aval da ONU", garantiu o candidato a vice na chapa do partido, Fernando Haddad. O ex-prefeito de São Paulo visitou nesta segunda-feira, 20, o líder petista, que está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba. Haddad fez a visita acompanhado da presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann (PR), e do tesoureiro, Emídio de Souza.

Haddad disse que Lula ficou "muito animado" com decisão da ONU. "Nossa ofensiva internacional vai aumentar a partir disso. Vamos reforçar que a ONU coloca a candidatura do presidente Lula como uma exigência da democracia", afirmou.

Em comunicado emitido na sexta, 17, o Comitê de Direitos Humanos da ONU "solicita ao Brasil que tome todas as medidas necessários para que o candidato do PT à Presidência nas eleições 2018, Luiz Inácio Lula da Silva, preso e condenado na Operação Lava Jato, possa desfrutar e exercer seus direitos políticos, enquanto esteja na prisão, como candidato para as eleições presidenciais".

O comitê ressalta, porém, que a decisão liminar não significa que a organização reconheça a existência de uma violação aos direitos do ex-presidente.

Top Político: TSE começa a encaminhar para Barroso ações contra registro de Lula:
Estadão
Publicidade
Publicidade