PUBLICIDADE

Marina se compara a Lula e chora ao falar de ex-presidente

Marina diz que está sendo injustiçada pelas críticas petistas e lembrou do que aconteceu com Lula nas eleições de 1989, quando ele disputou a Presidência e perdeu para Collor

13 set 2014 09h00
| atualizado às 09h03
ver comentários
Publicidade
<p>"Sofri muito com as mentiras que o Collor dizia naquela época contra o Lula. A gente fazia de tudo para explicar que não era assim. Me vejo fazendo a mesma coisa agora", comparou Marina</p>
"Sofri muito com as mentiras que o Collor dizia naquela época contra o Lula. A gente fazia de tudo para explicar que não era assim. Me vejo fazendo a mesma coisa agora", comparou Marina
Foto: Sergio Moraes / Reuters

A candidata à Presidência da República Marina Silva (PSB) fez um desabafo e chorou ao falar sobre as críticas que recebeu do ex-companheiro de partido e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As informações foram publicadas, neste sábado, pelo jornal Folha de S.Paulo.

"Eu não posso controlar o que Lula pode fazer contra mim, mas posso controlar que não quero fazer nada contra ele", disse Marina, que - considerada a principal oponente da candidata Dilma Rousseff (PT) na corrida presidenciável - é constantemente criticada pelos petistas.

Segundo a publicação, a candidata do PSB se emocionou e disse que ainda nutre admiração por Lula, embora considere quase impossível acreditar que o ex-presidente tenha se envolvido nas críticas contra ela. Durante 24 anos, os dois eram filiados ao PT e trabalhavam lado a lado.

Na semana passada, durante um comício em Recife, Lula atacou Marina indiretamente, dizendo que "tem gente querendo acabar com o pré-sal". 

Em contrapartida, Marina diz que está sendo injustiçada pelas críticas petistas e lembrou do que aconteceu com Lula nas eleições de 1989, quando ele disputou a Presidência e perdeu para Fernando Collor.

"Sofri muito com as mentiras que o Collor dizia naquela época contra o Lula. A gente fazia de tudo para explicar que não era assim. Me vejo fazendo a mesma coisa agora", comparou.

"Quero fazer coisas em favor do que lá atrás aprendi, inclusive com ele (Lula), que a gente não deveria se render à mentira, ao preconceito, e que a esperança iria vencer o medo. Continuo acreditando nas mesma coisas", afirmou. "Vou continuar lutando", encerrou a candidata.

Coligações e tempo de TV Coligações e tempo de TV

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade