PUBLICIDADE

"Ei, Neymar, vai ter que declarar'', provocam petistas em comemoração a vitória de Lula

Durante o segundo turno, o jogador declarou voto e ajudou na campanha do adversário do petista, Jair Bolsonaro (PL)

30 out 2022 - 23h43
(atualizado em 31/10/2022 às 02h47)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Edmar Barros/Reprodução Twitter / Futura Press

Após a vitória do candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno das eleições para a presidência do Brasil, apoiadores do petista provocaram o jogador Neymar, que declarou voto ao atual presidente Jair Bolsonaro (PL). 

"Ei, Neymar, vai ter que declarar'', afirmou um pequeno grupo de petistas que comemoram a vitória de Lula na Avenida Paulista, região central de São Paulo. O vídeo ganhou repercussão nas redes sociais. 

Entenda o caso

Neymar foi multado em R$ 188 milhões após investigação da Receita Federal e chegou até ter alguns bens bloqueados. Em 2019, o pai e empresário do jogador, Neymar da Silva Santos, se reuniu com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o secretário da Receita Federal da época, Marcos Cintra, a fim de debater algumas questões tributárias.

Na ocasião, Neymar questionar a multa no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) e conseguiu anular algumas sanções.

Recentemente, ao se referir ao apoio de Neymar ao atual presidente, Lula afirmou que o jogador tinha medo de uma vitória dele. Em tom sarcástico, o petista disse que, em caso de vitória, descobriria que Bolsonaro perdoou a dívida de Imposto de Renda do jogador. Não há provas dessa afirmação.

Em comunicado dias após a declaração de Lula, a empresa liderada pela família do atleta divulgou uma nota de repúdio e afirmou que a questão foi resolvida ainda na gestão de Michel Temer.

“Para encerrar definitivamente o assunto comunicamos que a informação é falsa. Os responsáveis deverão provar o contrário no palco adequado”, escreveu a NR Sports, seus diretores e a família de Neymar em trecho do comunicado.

“Em um momento importante que o país está vivendo não se espera de um candidato à Presidência da República falas como essa, que ultrapassam os limites do razoável da liberdade de expressão”, concluiu.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade