0

Em BH, ausência de FHC e Alckmin foram ‘senha’ para derrota

As duas figuras mais evocadas por Aécio na campanha ficaram em São Paulo; em discurso, tucano citou Bíblia e telefonema a Dilma após vitória petista

26 out 2014
23h18
atualizado em 29/10/2014 às 11h50
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A ausência do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) e do governador reeleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, marcaram a despedida do candidato derrotado à Presidência Aécio Neves (PSDB) do pleito. Neste domingo, as duas lideranças do PSDB paulista não estiveram em Belo Horizonte para acompanhar a apuração e o pronunciamento de encerramento da campanha, feito em um hotel da região central da capital mineira.

<p>Aécio afirma que Dilma deve: "unir o Brasil em torno de um projeto honrado"</p>
Aécio afirma que Dilma deve: "unir o Brasil em torno de um projeto honrado"
Foto: Andre Penner / AP

Nos bastidores, a confirmação de que os dois caciques tucanos não chegariam à capital mineira soou como uma espécie de senha, já após as 19h, para o resultado que seria anunciado a partir das 20h pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Aécio acompanhou a apuração na casa da irmã e uma de suas coordenadoras de campanha, Andréa Neves, em Mangabeiras, região nobre de Belo Horizonte. Por volta das 18h, a assessoria de campanha do candidato não confirmava nem o vice na chapa, o senador paulista Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), nem FHC ou Alckmin na cidade, já que chovia tanto em São Paulo quanto na capital mineira. Nomes do PSB pernambucano, como o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, e o governador eleito, Paulo Câmara, também não teriam conseguido viajar por conta do mau tempo.

Já no início da noite, a assessoria de imprensa de FHC informava que o ex-presidente estava em sua casa, em São Paulo. Já a assessoria de Alckmin alegara que o governador representaria Aécio em uma eventual festa da vitória na capital paulista.

Indagado sobre a ausência de FHC – principal figura tucana na convenção nacional que chancelou a candidatura de Aécio, em São Paulo, e nas declarações de campanha do candidato -, Serra minimizou: “ausência? Hoje? Absolutamente. Estive com ele hoje, ele viaja amanhã e quase veio. Ia ficar muito cansativo, ele fará uma viagem internacional (ao México)”, argumentou.

Aécio cita Bíblia em discurso breve
No breve discurso de pouco mais de dois minutos, Aécio, visivelmente abatido, reuniu no nome de um único tucano os agradecimentos pelos apoios recebidos – seu vice, o senador paulista Aloysio Nunes Ferreira, que foi a Belo Horizonte com outro paulista, o senador eleito José Serra.

“Uma palavra de agradecimento especial a cada companheiro, representado pelos tantos que estão aqui na figura do senador Aloysio Nunes – político exemplar com quem tive o privilégio de compartilhar novas expectativas em relação ao Brasil”, disse o candidato, que afirmou sair da disputa “mais vivo do que nunca, mais sonhador do que nunca, com o sentimento de que cumprimos nosso papel”.

O senador mineiro citou o apóstolo Paulo, como fez nos últimos dias de campanha, para avaliar o final da campanha. “Combati o bom combate, cumpri a minha missão e guardei a fé”, encerrou.

O tucano ainda afirmou ter ligado para a presidente reeleita cumprimentando-a pelo resultado. "Cumprimentei agora há pouco a presidente reeleita, por telefone, e desejei a ela sucesso na condução de seu próximo governo. E ressaltei: considero que a maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado e que dignifique todos os brasileiros", destacou.

Veja também:

PM detém rapaz após acidente de trânsito no Bairro Santo Onofre
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade