PUBLICIDADE

O valor da alfabetização no tempo certo

Premiação reconhece municípios paulistas com bons resultados na meta de alfabetizar as crianças até os sete anos

17 nov 2023 - 08h11
(atualizado às 14h26)
Compartilhar
Exibir comentários

Alfabetizar as crianças na idade certa - até os sete anos - é fundamental para construir o futuro do Brasil. Pesquisas já demonstraram que atrasos de desenvolvimento nessa fase geram dificuldades relevantes não apenas na trajetória escolar, mas em toda a sequência da vida. Infelizmente, 56% das crianças que concluem o 2º ano do Ensino Fundamental hoje, no Brasil, chegam a esse momento crucial sem estarem alfabetizadas. É uma tragédia nacional que começa a ser combatida com maior ênfase por iniciativas que incentivam a alfabetização no tempo certo.

Uma dessas iniciativas é o Programa Alfabetização Responsável (PAR), criado pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) para apoiar a formação de professores e a utilização de novos recursos pedagógicos que potencializam o processo de alfabetização. Trata-se de mais uma entre várias iniciativas do Sesi-SP para dar apoio ao processo educacional na rede pública. "É um imperativo moral, e também econômico, que trabalhemos para melhorar a qualidade do ensino no Brasil", diz o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Josué Gomes.

Além de identificar os problemas e agir para enfrentá-los, o programa reconhece as prefeituras que estão obtendo bons resultados. O Prêmio PAR, promovido também pela Fiesp, teve os vencedores da primeira edição anunciados durante uma concorrida solenidade no Teatro do Sesi-SP, em São Paulo, no dia 13 de novembro. Dezenas de prefeitas e prefeitos paulistas, além de outros representantes das gestões municipais, compareceram para prestigiar a premiação e viver a expectativa do anúncio como um dos vencedores.

Após análise dos indicadores da alfabetização no município, avaliados por uma metodologia que dá pesos diferentes para o porte e a realidade socioeconômica, oito cidades foram premiadas: Braúna, Brejo Alegre, Fernandópolis, Franca, Guariba, Meridiano, Mirante do Paranapanema e Pinhalzinho. Cada uma receberá um espaço maker completo - trata-se de um laboratório superequipado que incentiva a aprendizagem "mão na massa", com práticas pedagógicas empolgantes, metodologias ativas e tecnologias avançadas, a exemplo de notebooks de alta performance, impressoras 3D, máquinas de corte a laser, drones e braços robóticos - tudo para desenvolver a criatividade, materializar ideias e estimular o espírito colaborativo dos estudantes, sob a supervisão permanente de monitores do Sesi-SP.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade