PUBLICIDADE

Já imaginou aprender a falar inglês com o seu pet? Especialista explica como

A professora de inglês Talita Aparecida de Oliveira dá dicas para incluir os bichinhos no aprendizado do idioma

12 mar 2024 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Pets podem ajudar no aprendizado de outro idioma
Pets podem ajudar no aprendizado de outro idioma
Foto: Unsplash/Montagem

Aprender um novo idioma é sempre um desafio. Vergonha e falta de tempo e/ou de dinheiro são alguns dos obstáculos a serem superados na jornada de aprendizado. Mas se você é um apaixonado por bichos de estimação isso pode te ajudar.  

Quem garante é a professora Talita Aparecida de Oliveira, que dá aula de inglês e é mestre em Ensino-Aprendizagem de Língua Estrangeira pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

"Aprender um idioma é uma jornada, é longa, então a gente precisa saber se manter apaixonado por esse processo no caminho para que a gente consiga atingir os nossos objetivos", afirma.

Confira abaixo as sugestões!

Repetição e rotina

Assim como os pets, os seres humanos também aprendem a partir da repetição. Por isso, criar uma rotina de aprendizado voltada ao inglês, em que se estuda um pouquinho por dia, é fundamental. Logo, inspire-se no seu pet: crie e mantenha uma rotina de estudos.

Frases simples

Se você é iniciante no inglês, passe a observar seu entorno e, depois de identificar, nomeie e explique o que ou quem está ao seu redor. Comece com frases simples, como:

  • "Estou em casa com o meu gato", que em inglês fica: "I am at home with my cat".

Talita recomenda que você anote essas frases em um caderno ou um aplicativo de estudos que permita armazenar o que já foi estudado. A professora orienta ainda que você respete seu nível de aprendizado e insira aos poucos elementos mais complexos do idioma.

"Use o vocabulário que você já conhece. Você pode descrever pequenas ações que os pets fazem. Se você já aprendeu um pouquinho de verbo To Be ou Simple Present, é possível construir pequenas frases sobre isso", acrescenta.

Mas como fazer isso?

Se você tem um bichano que ama por catnip, por exemplo, isso pode se tornar uma pequena sentença:

  • "Meu gato adora catnip", que em inglês fica: "My cat loves catnip"

Um cachorrinho dorminhoco também pode ser outro exemplo:

  • "Meu cachorro dorme o dia todo", que em inglês fica: "My dog sleeps all daylong"

Aproveite as características físicas e demais hábitos do seu pet para construir as sentenças. Depois, vale até tentar conversar com ele em inglês. 

Conteúdos em inglês

Apostar em conteúdos sobre pets em inglês é outra alternativa. Podcasts, livros e artigos sobre comportamento animal ou curiosidades sobre bichos podem ajudar no aprendizado. Vídeos engraçados e fofos sobre pets rendem risadas e até conhecimento sobre novos vocabulários.   

Apoio emocional

Estar próximo ao bicho de estimação, escovando os pelos ou fazendo carinho ajuda a reduzir a ansiedade. Para aqueles que ficam ansiosos só de imaginar uma aula de inglês, ter o bichinho por perto pode oferecer conforto e sensação de segurança.

Inteligência Artificial é um 'plus'

"As pessoas podem aproveitar a tecnologia para a prática de inglês. Elas podem até simular conversas com inteligência artificial, o que supre em parte a necessidade de quem não tem com quem praticar", explica Talita, que também trabalha com a criação de cursos em Ambiente Virtual de Aprendizagem na Companhia de Idiomas.

A professora destaca que a dificuldade ao falar o idioma é uma das principais reclamações dos alunos. Por isso, a tecnologia pode ser uma aliada do processo, embora não deva ser o único recurso utilizado.

Talita defende que é importante "tentar trazer mais pessoas para esse processo, aprendendo com os outros, ensinando outras pessoas, praticando com elas". Então, marque aquele café ou jantar com os amigos que também estão estudando o idioma. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade