0

Trump quer mais profissionais de saúde nos EUA

O país sempre teve uma carência de trabalhadores na área, hoje com a pandemia isso se intensificou

9 abr 2020
13h19
atualizado em 10/4/2020 às 05h17
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Há anos os Estados Unidos sofrem com a falta de alguns profissionais qualificados, entre as áreas com esse déficit se destaca a área da saúde. Enfermeiros, fisioterapeutas, dentistas, entre outros sempre foram bem-vindos na terra do Tio Sam, mas agora com a pandemia do Codiv-19 existe praticamente um chamado.

Foto: DINO / DINO

Nas últimas semanas o Consulado Americano no Brasil soltou uma nota chamando os pleiteantes da saúde que já estavam em processo para agilizar a avaliação do visto. Também informou que profissionais que estavam em solo americano com o visto J (para pessoas que participam em programas de intercâmbio ou treinamento) poderiam pedir aos seus sponsors a extensão.

"A necessidade de profissionais com Bacharelado e experiência em diversas áreas é recorrente nos EUA, uma vez que no país a população tem a cultura de fazer cursos técnicos - o que torna o profissional brasileiro uma excelente opção", segundo o CEO da D4U USA Law Group, Wagner Pontes.

Pontes relata que seu escritório de imigração tem feito centenas de casos anualmente e que os profissionais da saúde estão entre os que mais buscam essa oportunidade. "O brasileiro quer mudar de país por diversos motivos, mas quer continuar crescendo na carreira e ter reconhecimento profissional com qualidade de vida e isso, sem dúvida, ele consegue aqui nos EUA", esclarece.

Para se habilitar ao visto EB2 - Visto de habilidades Extraordinárias com o interesse profissional do país na área, a advogada e sócia da D4U, Dra. Kris Lee esclarece que o pleiteante deve preencher três requisitos de uma lista de seis. "O profissional tem que ter a certificação na área, comprovar 10 anos experiência, ter o  registro profissional referente sua categoria de atuação, como por exemplo o Crefito para os fisioterapeutas. Essas são algumas das exigências do Governo americano".

Infelizmente os Estados Unidos está, atualmente, com o maior número de casos de Coronavirus o que fez a Casa Branca olhar mais uma vez para profissionais de outros países. "Acreditamos que nesse momento de crise na saúde, os profissionais da área serão ainda mais valorizados e terão a recepção do seu pleito imigratório analisado em um curto espaço de tempo", finaliza Pontes.



Website: http://www.dino.com.br

Veja também:

Editor do L! analisa possível destino de Lautaro Martínez nessa janela de transferência
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade