0

SEO é a principal estratégia de marketing e branding para fomentar negócios e fortalecer marcas

6 dez 2019
18h49
atualizado em 7/12/2019 às 18h24
  • separator
  • 0
  • comentários

Em tempos em que o mundo está cada vez mais conectado, é estranho observar que grandes marcas do setor produtivo brasileiro ainda não despertaram para a importância do protagonismo digital. Produtos com todas as faixas de valor agregado deixam de aparecer como referências na internet por pura negligência de seus produtores. Desde chocolates até máquinas agrícolas, em pleno 2019, com os negócios digitais cada vez mais amadurecidos, ainda há um grande vácuo a ser ocupado por empresas relevantes no mundo físico e pouco presentes no mundo digital.

Foto: DINO / DINO

No caso de produtos de alto valor agregado, o caso é ainda mais grave, já que as buscas na internet são, muitas vezes, o que norteia a decisão de compras. No caso das máquinas agrícolas, por exemplo, pesquisas apontam que, com equipamentos cada vez mais tecnológicos e complexos, as decisões de compra têm sido feitas por jovens administradores dos negócios rurais que, por terem muito mais familiaridade com o mundo digital, se valem dele para ter certeza do produto que vão adquirir.

O Google é a segunda marca mais valiosa do mundo, apenas atrás da Apple. Segundo a Mashable, o Google recebe mais de 100 bilhões de buscas todos os meses, ou 3,5 bilhões diariamente. Nos dias de hoje, sempre que uma empresa é indicada pelo Google nos resultados de busca, a gigante americana transfere um pouco da sua autoridade para a marca dessa empresa. Este já é um motivo muito óbvio para se investir em SEO, pensando na construção ou no fortalecimento - também conhecido como "Branding" - de uma marca online. No entanto, estar bem posicionado na busca orgânica da sua área de interesse traz mais uma série de outros benefícios, sejam eles comerciais ou institucionais.

SEO é a sigla para "Search Engine Optimization", que, por definição, significa "otimização para mecanismos de buscas". É o processo desenvolvido para deixar um site bem posicionado nos mecanismos de busca, como o Google, de forma natural, orgânica e gratuita. Conhecido também como "otimização de sites" no Brasil, o SEO gera reputação, tráfego e vendas em páginas online de empresas que se preocupam com esse importante detalhe da sua cadeia de negócios.

Mesmo que 69,3% das empresas brasileiras já adotem alguma estratégia de SEO, ainda tem muito trabalho a ser feito para alcançar uma posição de destaque nas buscas. O portal especializado Search Engine Land estima que até 2020, empresas do mundo inteiro devem investir cerca de US$ 79 bilhões em SEO. Os números extremamente relevantes chamam a atenção e mostram como boas estratégias de SEO podem oferecer êxito a qualquer negócio online, quando são colocadas em prática de maneira correta e íntegra. O trabalho para posicionar um site nas buscas está longe de ser fácil. Requer conhecimento, estratégia e muito empenho, já que inclui várias técnicas relacionadas à programação, conteúdo e força da marca, ou, nesse caso, do site, no meio online. Resumidamente, o SEO tem 3 frentes importantes: a programação e o design do site, seu conteúdo e também a autoridade ou relevância do site na internet. Se uma dessas estratégias não for adotada adequadamente, poderá comprometer todo o trabalho de SEO.

Estar no primeiro lugar da busca no Google é o novo "estar na Globo"

Todos os envolvidos no mercado de marketing digital já sabem disso. Até mesmo a própria Globo, que tem desenvolvido cada vez mais produtos digitais. De acordo com especialistas do setor, os resultados orgânicos dos buscadores, sobretudo do Google, têm uma confiança 77% superior em relação aos links pagos. Ou seja, a busca orgânica é o lugar mais nobre de toda a internet para uma marca ou empresa ocupar.

O valor dessa posição ainda é intangível, já que ainda é impossível calcular o valor da transferência de reputação e autoridade do Google para uma marca. O que se sabe é que, por exemplo, a marca Pinho Sol tem cerca de 22 mil visualizações por mês, apenas graças à busca orgânica. Um exemplo de grande marca consolidada no mercado, mas que ainda assim, incluiu um trabalho de SEO na sua estratégia de marketing.

Para marcas sem tanto reconhecimento, em mercados ainda pouco explorados pelos estrategistas de marketing, a oportunidade de se tornar referência é grande. Afinal, o consumidor, antes de pensar em um produto, pensa em marcas de referência, como "caneta Bic", "Post-It", "Gilette" e outras. Na era digital, quem quer ter sucesso precisa incluir o SEO como estratégia de marketing e branding. A maior inspiração para tal, pode ser a história da Amazon, que investiu em SEO desde a criação da marca e hoje é uma das mais valiosas do mundo, competindo com o próprio Google.

A solução para sua empresa ter mais destaque no Google está bem perto

O Brasil conta com excelentes profissionais especializados em SEO, programação, conteúdo e link building, os 3 pilares do SEO, assim como algumas das melhores agências especializadas em marketing digital de toda a América Latina, o que torna ainda mais óbvio e "obrigatório" o investimento das empresas nesta área. A agência emarket, de Florianópolis está entre elas, comprovando a fama de Florianópolis que é conhecida como a "Ilha do Silício" numa alusão ao Vale do Silício, região da parte sul da Baia de São Francisco, que abriga muitas start-ups e empresas globais de tecnologia, como a Apple e o Google.  Assim como lá, Florianópolis, um dos principais polos de inovação no Brasil, abrigando cerca de 900 empresas do setor de TI e mais de 17.000 profissionais, fazendo jus à alcunha.

Com quase 18 anos de história, a catarinense emarket passou a trabalhar com Consultoria em SEO quando o Google dava seus primeiros passos. Durante essa trajetória, ajudou muitas marcas a terem destaque no meio online, desde empresas bem pequenas até companhias bem mais robustas, no país e no mundo.



Website: http://emarket.ppg.br/

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade