0

Pelo 3° ano consecutivo os e-commerces tiveram crescimento positivo no mercado brasileiro

Novas oportunidades surgiram em 2018 pela confiança cada vez maior dos consumidores em adquirir produtos no ambiente virtual!

22 jan 2019
14h02
  • separator
  • comentários

Houve no e-commerce o crescimento de 7,6% no ano de 2018 em relação ao ano anterior. Acredita-se que essa alta ocorreu devido a maior adesão de smartphones na decisão final de compra do usuário.

Foto: DINO / DINO

A alta, porém já era esperada. O e-commerce tem apresentado projeções de expansão desde o ano de 2016, quando o comércio eletrônico ainda passava por períodos de crises e incertezas.

O cenário do E-commerce em 2016

Conquistar um bom desempenho no e-commerce é fundamental para que o comércio eletrônico continue ativo. No ano de 2016, os empreendedores encaravam o desafio de controlar os preços e atrair o público, além dos problemas durante o envio dos produtos, dificuldade de rastreamento e riscos de fraude.

Segundo a 3ª Pesquisa Nacional do Varejo, realizada pelo SEBRAE no ano de 2016, apenas 51% dos empreendedores que possuíam um comércio eletrônico obtiveram lucro. Cerca de 28% dos comerciantes continuava como iniciaram, não tendo alterações positivas ou negativas e 21% ficou no prejuízo.

No mesmo ano porém, iniciou a mudança de perspectiva do consumidor sobre compras online. O e-commerce faturou R$ 44,4 bilhões, representando uma alta de 7,4% em relação ao ano de 2015.

O ticket médio do comércio eletrônico sofreu um aumento de 8% e o número de consumidores que optaram por compras online cresceu em 22%.  

O cenário do E-commerce em 2017

De acordo a pesquisa Webshoppers o faturamento do e-commerce em 2017, foi de R$ 47,7 bilhões. Isso representa aumento de 7,5% em relação a 2016, quando o setor registrou R$ 44,4 bilhões. O ticket médio por consumidor também aumentou, passando de R$ 418,00 em 2016, para R$ 429,00 em 2017, ou seja, um aumento de 3%.

O radar Webshoppers evidencia que a quantidade de consumidores ativos no país passou de 47,93 milhões, em 2016, para mais de 55 milhões no ano seguinte, alta de aproximadamente 15%. São contabilizados como clientes ativos os brasileiros que realizaram ao menos uma compra digital no ano.

O cenário do E-commerce em 2018

Em 2018, os comerciantes que se dedicaram ao comércio eletrônico perceberam a necessidade de não somente oferecer produtos de qualidade, mas também, experiências aos consumidores.

As adaptações do comércio para o ambiente virtual ao longo dos anos criou novas oportunidades trazidas pela confiança dos consumidores em adquirir produtos no ambiente virtual. Novas formas de garantir ao usuário segurança foram desenvolvidas, como a criação de certificados de segurança e proteção de crédito oferecida por alguns gateways de pagamento.

Como resultado das melhorias e adaptações realizadas pelo comércio eletrônico, o consumidor está cada vez mais interessado em adquirir produtos no ambiente virtual.

O e-commerce brasileiro cresceu cerca de 12,1%, obtendo um faturamento de R$ 23,6 bilhões no primeiro semestre de 2018. O 38° Webshoppers, pesquisa realizada pela Ebit em parceria com a Elo no ano de 2018, revela também que no mesmo período 27,4 milhões de pessoas no Brasil realizaram pelo menos uma compra online.

O proporcional em volume de vendas, tanto para dispositivos móveis como para desktops, é de 8% a mais do que o primeiro semestre de 2017.

O uso de dispositivos móveis tem grande participação nas vendas do e-commerce. Juntamente com a expansão e adesão do comércio eletrônico, o número de pedidos realizados por dispositivos móveis aumenta exponencialmente. Isso ocorre devido a facilidade e praticidade trazidas pelo uso de smartphones e tablets.

A pesquisa de 2018 apresentou um aumento de 7,4% em relação ao ano anterior, o que significa que cada vez mais consumidores se adaptam às facilidades de compra por dispositivos móveis. Além disso, a Ebit estima que até ano de 2020, metade das compras online será feita por um dispositivo móvel.

As compras podem ser realizadas nas várias plataformas existentes no e-commerce, por dispositivos móveis e computadores. Considerada a mais confiável, a loja virtual é a mais utilizada para a realização de compras.

Lojas virtuais

No comércio eletrônico, as lojas virtuais se destacam devido a sua praticidade, confiabilidade e facilidade operacional. Por meio delas, os consumidores podem encontrar com mais facilidade os produtos que estão buscando.  

A criação de lojas virtuais se tornou uma das alternativas de negócio mais acessíveis e lucrativas para os empreendedores brasileiros. Essa movimentação no e-commerce se deu ao fato de que o empreendedorismo no Brasil deixou de ser crescente apenas nos momentos de crise e é encarado agora como uma oportunidade de independência.

O tamanho da empresa não é considerado por um consumidor ao acessar uma loja virtual, e sim, a sensação de segurança e profissionalismo. A criação de uma loja virtual permite ao empreendedor disponibilizar informações de forma objetiva e clara, além de oferecer oportunidades como:

- Aumentar o potencial de vendas empresa;

- Facilidade em realizar ações promocionais;

- Adquirir contato com o cliente;

- Aumentar a visibilidade dos produtos;

- Efetuar vendas a qualquer hora do dia, entre outras possibilidades.

Com a loja virtual é possível estar disponível para o consumidor nas mais variadas horas do dia, possibilitando a compra dos produtos disponibilizados a qualquer instante e de todos os lugares.

A Construsite Brasil conta com uma equipe especializada na criação de lojas virtuais e oferece todo o auxílio necessário de suporte para que você consiga explorar os recursos disponibilizados por essa modalidade de negócio. Visite o site para mais informações!



Website: https://construsitebrasil.com

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • comentários
publicidade