6 eventos ao vivo

O que é modelo crowdfunding Imobiliário?

8 mai 2020
10h36
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O termo crowdfunding se difundiu no meio dos investimentos, mas algumas pessoas ainda não o conhecem.
O crowdfunding ou investimento coletivo é um conceito no qual as pessoas se unem para financiar uma ideia inovadora e interessante.

Foto: DINO / DINO

Dessa maneira, ao somar vários aportes de múltiplos tamanhos em um "monte" só, o investimento ganha uma força que não teria sozinho sem a união de mais pessoas interessadas no projeto.

 
Crowdfunding democratiza o universo dos investimentos 

A diferença do crowdfunding para um formato de investimento tradicional é que este permite que os indivíduos somem forças na hora de apoiar um conceito bacana, possibilitando a pessoas que não possuem uma renda alta participarem de grandes projetos.

"Na prática, o crowdfunding funciona como no formato de arrecadação de uma vaquinha para o setor imobiliário", explica Alex Silva COO Swiss Consultoria.
No caso do crowdfunding imobiliário, é possível começar a investir no mercado imobiliário com um capital modesto.
Tudo é feito pela internet, através de algumas plataformas digitais de investimento, conclui Silva.


Crowdfunding Imobiliário


O mercado imobiliário sempre foi atrelado aos grandes investidores.
Porém, como o surgimento do investimento coletivo em imóveis, é possível participar dessa oportunidade!

Assim, o crowdfunding imobiliário é a chance de muitos terem investimentos coletivos em grandes empreendimentos, como prédios, torres, condomínios e outros projetos de interesse dos investidores.
Quem sempre teve interesse em investir em empreendimentos imobiliários, mas não tinha condições financeiras para isso, deve saber que o cenário mudou.

Agora, existem diversas plataformas de investimento pensadas para aumentar o acesso à essa modalidade.
Dessa maneira, é preciso saber como funciona o crowdfunding imobiliário, na prática.


Como Funciona o crowdfunding imobiliário


O investimento coletivo em empreendimentos imobiliários acontece através de plataformas digitais.
Vale ressaltar que a modalidade é regulamentada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Para oferecer a distribuição de investimentos imobiliários, as plataformas devem ser constituídas no Brasil e estarem registradas na CVM.

Conforme a própria CVM orienta,  "as ofertas serão realizadas exclusivamente por meio de página na internet, programa, aplicativo ou meio eletrônico que forneça um ambiente virtual de encontro entre investidores e emissores nos termos da ICVM 588".

Assim, é importante que se invista apenas em plataformas que estão cadastradas na CVM, a fim de evitar problemas no futuro.

 
Remuneração é variável

Para os que ainda não tem muita familiaridade com investimentos, uma dica: o retorno financeiro do crowdfunding imobiliário depende do sucesso do empreendimento.

Por esse motivo, esse não é um investimento de renda fixa, no qual se sabe o quanto vai lucrar por mês. Neste caso, o investidor recebe de acordo com o rendimento, que pode variar bastante. 

No entanto, até o presente momento, o investimento coletivo em imóveis vem comprovando ser uma alternativa excelente.

 Na primeira vez que os investidores obtiveram o retorno dos investimentos no Brasil, houve um retorno de 18,7% ao ano, durante três anos.

 Também vale dizer que as plataformas fazem uma investigação profunda sobre os interessados em receber os investimentos.
Assim, apenas a minoria de projetos é aceita para fazer parte do rol de opções de financiamento.

 Comparado aos investimentos em renda fixa, é possível dizer que o crowdfunding imobiliário tem a possibilidade de retorno muito superior, embora seja um pouco mais arriscado.

 
Investimento inicial

Até o momento, é possível começar a investir em empreendimentos imobiliários a partir de R$ 1.000,00 (mil reais).

 Porém, o montante varia de plataforma para plataforma. Algumas delas são mais restritivas e exigem um aporte de capital maior, como R$ 5 mil, R$10 mil, R$ 20 mil ou até R$ 50 mil reais.

 É possível investir em empreendimentos diferentes do convencional, como em uma Usina Solar ou em um Condomínio com campo de golfe e SPA.

Para escolher como e onde investir, há disponibilização de diversas informações:

  • Projeto imobiliário, localização, tamanho
  • Prazo de retorno do investimento (normalmente, varia entre 18 a 36 meses)
  • Projeção de rentabilidade
  • Valor-alvo do investimento total


Processos de investimento


Os  interessados nesse tipo de negócio provavelmente estão querendo saber: quais são os passos para começar a investir imediatamente?


1- Escolher uma Plataforma

Embora o crowdfunding imobiliário seja uma alternativa de investimentos recente no Brasil, já existem várias opções para escolher, como a Investweb , a Bricksave e a Ulend.

O investidor deve entrar nos links, dar uma conferida e escolher a opção mais adequada às suas preferências.

2- Realizar cadastro

Após escolher a plataforma,  é o momento de se fazer o cadastro.
Embora todo o procedimento ocorra de forma digital, é necessário ter acesso aos seus documentos pessoais.

Por se tratar de um investimento, a plataforma irá solicitar diversos dados, bem como o envio de cópias digitais de alguns desse documentos.
Após essa etapa de inscrição, a conta na plataforma será aberta e já é possível começar a investir.

3- Analise as propostas

Independente da plataforma escolhida, o investidor terá acesso a muitas opções diferentes.
Cada uma delas apresenta um investimento mínimo, um aporte-alvo e uma previsão de rentabilidade.

Assim, é importante analisar todos os dados com cuidado, pois esse é o passo mais importante no caminho do investidor de imóveis.

Vale saber que a maioria das plataformas exige um número mínimo de interessados para dar sequência ao projeto.

Por esse motivo, talvez seja necessário ao cliente assinar um pré-contrato ou deixar um valor de reserva para garantir que o investimento ganhe tração.

Após a captação dos investimentos se encerrar, o investidor passará a acompanhar os processos do projeto.

4 - Acompanhar o próprio investimento

O investidor deve ficar atento ao andamento do projeto e procurar ter acesso a relatórios e informações sobre ele.
Porém, é necessário ressaltar que esse acesso depende do nível de transparência de cada plataforma.

Os retornos podem ser pagos de uma só vez, ao final do período, ou em aportes periódicos. Ficar atento para não correr o risco de ter problemas com a própria liquidez é fundamental.



Website: https://swissinvestimentocoletivo.me/

Veja também:

Último debate entre Trump e Biden tem tom mais ameno, mas com troca de acusações; veja destaques
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade