0

Em uma crise, os verdadeiros líderes aparecem

18 ago 2020
11h59
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A pesquisa Tendências Globais de Capital Humano da Deloitte (2019) observou que 80% dos entrevistados classificaram a liderança como alta prioridade para suas organizações, mas apenas 41% consideram que suas organizações estão prontas para atender aos requisitos de liderança.

Foto: unsplash / DINO

Hoje, há mais do que nunca uma necessidade, um pedido de socorro para que os líderes se levantem e apareçam. 

A liderança é um conceito fluido e evolui com base no contexto. As demandas inerentes ao ambiente de trabalho, metas declaradas ou não declaradas, necessidades de seguidores, expectativas, habilidades e caráter do "líder" são apenas algumas variáveis que influenciam a definição de liderança.

A VUCA (Volatile, Uncertain, Complex and Ambiguous) descreve um mundo que é: volátil, incerto, complexo e ambíguo (VICA - no Brasil)

Esse é o contexto da liderança, à medida que as organizações buscam uma nova geração de líderes em um mundo pós-heroico. O mundo VUCA (VICA) é onde um tamanho não serve para todos; não é mais um caso de encontrar o caminho único, uma ferramenta de gerenciamento, um grande líder ou uma única estratégia. Os padrões deram lugar à individualidade em organizações, com muitos líderes eficazes.

O líder da VICA deverá envolver-se, desenvolver e capacitar totalmente outras pessoas na resolução de problemas, descoberta de soluções, inovação, construção de estratégias e táticas ágeis. O líder deverá reconhecer e otimizar, utilizar e implantar os talentos de todas as pessoas na organização.

Um líder, por vezes,  pode ser visto como eficaz em uma situação ou função e em outras não. Quem, então, define o líder? Em termos simples, a resposta é: Seus seguidores. É necessário que os seguidores validem a liderança.

O fato de tantos livros e artigos terem sido escritos e modelos sobre liderança terem sido discorridos, ainda existe uma certa complexidade para a definição pontual do tema.

Grandes líderes "heroicos" surgiram em tempos de crise, como por exemplo, nas guerras mundiais, conflitos globais e convulsões sociais. A heroica geração de líderes Baby Boomers do pós-guerra está passando o bastão. A questão é: para quem eles estão passando? E como será a liderança em um mundo pós 2020?

A pandemia da COVID-19 é, de várias maneiras, VICA em esteroides. Este evento global traumático proporcionou um caminho rápido, um laboratório vivo para observar a liderança em "ação" em 2020. Gigantes despertaram e se levantaram. Com a Covid- 19, pode-se observar as características emergentes e as qualidades necessárias para um líder de um mundo pós-pandêmico da VICA.

O que será exigido dos líderes da geração VICA?

 Abaixo algumas expectativas de líderes emergentes:

  • Equipe de coaches e mentores (atualizados) de forma consistente para desenvolver capacidade, habilidades, competências e oportunidades de sucessão;
  • Contrate um coach e participe do processo para desenvolver e aprimorar habilidades de liderança pessoal, estratégica e de responsabilidade;
  • Inovar e melhorar continuamente sistemas, processos, operações e produtos para atender às mudanças nas necessidades e preferências dos clientes e adquirir novos clientes em novos mercados;

Os negócios, não retornarão aos seus modelos de organização" originais ". O mundo do trabalho "virtual" evoluí com o "HOME OFFICE", as conferências online e as atividades de aprendizado dos alunos. Sem dúvida, esse modo de trabalho é e será examinado de perto pelas empresas em busca de economias de escala no futuro.

Essa pandemia criará vencedores e perdedores dentro das organizações causados pela agitação e reformulação significativa da economia, da força de trabalho e da sociedade. Criará oportunidades para reinventar e cocriar novos futuros para as empresas atuais e criar novas possibilidades em muitos setores.

Embora o caráter dessa pandemia mude e seja mitigado com a intervenção científica, o momento organizacional continuará a acelerar à medida que as organizações forem necessárias para acomodar mudanças estruturais, transição digital e tecnológica, mudanças nas expectativas dos funcionários, integração global, pressão competitiva, ação social/ambiental e mudanças das necessidades e demandas dos clientes.

Embora as expectativas sejam emergentes para líderes baseadas no contexto da VICA, é importante lembrar das expectativas mais tradicionais de liderança;

Em situações desafiadoras como a da COVID-19, os fatores de liderança abaixo são os mais importantes:

  • Verificação da verdade e transparência - ser honesto e aberto usando informações e dados precisos atualizados no compartilhamento de más e boas notícias;
  • Envolver, colaborar e ouvir uma equipe qualificada de especialistas - "líderes especializados" para aconselhamento, direção e estratégias de planejamento;
  • Ser flexível, adaptável e resiliente à medida que incógnitas e eventos subsequentes se desenrolam;
  • Delegar iniciativas de alta prioridade a líderes/gerentes capazes de executar;
  • Agir com rapidez - pronto para obter resultados;

A Liderança não é um evento. Em primeiro lugar, é o caráter e as características de um indivíduo com capacidade para direcionar grupos de pessoas que fazem a escolha de o seguir;

"Como seres humanos, apenas alugamos um espaço no planeta Terra. Somos apenas um pequeno grão de areia no tempo e neste universo. O Ego pode ser a maior força central do líder ou o pior inimigo do seguidor. Cabe ao líder decidir como empregar seu ego. Nosso tempo em um papel de liderança é melhor gasto ajudando os outros a alcançar seus objetivos e agradecendo a oportunidade de motivar, recompensar, parabenizar, incentivar, treinar e aplaudir os que seguem. "

Dr. Shayne Tracy- Presidente da IBCI



Website: https://instituteibci.com/

Veja também:

Flagrado com dinheiro na cueca, Chico Rodrigues pede afastamento do Senado por 90 dias
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade