3 eventos ao vivo

Crescimento de startups no Brasil é impulsionado por empreendedores

18 fev 2020
18h05
atualizado em 19/2/2020 às 01h59
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Ultimamente, tem se falado muito em startups, unicórnios e o seu crescimento vertiginoso. Segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), em quatro anos, de 2015 até 2019, o número de startups no País mais que triplicou, passando de 4.151 para 12.727 - um salto de 207%. Um dos principais fatores deste crescimento é o empreendedor brasileiro, que está apostando na abertura e desenvolvimento de startups.

Foto: Banco de Imagens / DINO

São vários motivos para que os empreendedores estejam investindo nas startups como o sonho de empreender, disponibilidade de investimento, maior acesso à informação por meio de programas de incentivo ao empreendedorismo, programas de aceleração, ecossistemas mais maduros. Outra razão são os bons exemplos das primeiras startups que obtiveram êxito no Brasil e estimularam pessoas a seguir este caminho.

"O surgimento de startups de sucesso ajudou e encorajou muitas pessoas a empreender. Vários cursos universitários direcionaram seus programas com conteúdo empreendedor, o que estimula a formação e o desejo do jovem abrir seu próprio negócio. Além disso, um grande movimento de profissionais com experiência de mercado estão saindo de grandes empresas para formar suas startups", explica Victor Harada, fundador e CEO do Mangos, programa de fidelidade da indústria voltado diretamente para o consumidor final por meio de cashback. "Junto com todo este movimento de empreendedores, outro fator que impulsiona o crescimento é a entrada de grandes fundos internacionais com alto volume financeiro e de novos fundos menores investindo nas startups nascentes", complementa o CEO.

O Mangos é um bom exemplo de startup de sucesso e que conta com aporte de investidores. Segundo Harada, o Mangos, que foi lançado em abril de 2019, recebeu recentemente a última parcela de um aporte total de US$2 milhões de uma gestora de patrimônio, investimento que auxiliará ainda mais na expansão dos negócios da empresa. A startup tem uma projeção para 2020 de crescimento de 200% da sua base de clientes, sendo que, somente em janeiro, duas indústrias já adentraram a sua carteira de clientes.

Desde 2011, quando a onda do empreendedorismo digital começou a decolar no País, os fundos de investimento aportaram quase R$ 13 bilhões por aqui. Só em 2018, os fundos - chamados de venture capital - investiram US$ 1,3 bilhão (R$ 5,1 bilhões): volume 51% superior ao de 2017, segundo dados da Associação Latino-americana de Private Equity e Venture Capital (Lavca, na sigla em inglês). O montante representou 65% de todos os investimentos feitos na América Latina.

"As pequenas e médias startups e as unicórnios, além de gerarem muitos empregos e capacitarem as pessoas, essencialmente estão inovando: criando tecnologias, aprimorando processos, reduzindo desperdícios, gerando valor.  Isso só é possível por causa dos empreendedores. Graça a esse movimento, a sociedade como um todo se beneficia, a população, as empresas e os governos ganham muito com as soluções das startups: criação de emprego, geração de riqueza, melhorias sociais e urbanas, inovações financeiras e muitos outros benefícios que impulsionam o crescimento econômico do país", finaliza Harada.



Website: https://www.mangos.com.br/

Veja também:

Investigação da BBC revela tortura e abusos em escolas islâmicas no Sudão
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade