2 eventos ao vivo

Brasil é o principal mercado para implantes cocleares e outras tecnologias auditivas na América Latina

14 mai 2019
18h45
  • separator
  • 0
  • comentários

Mais de 460 milhões de pessoas sofrem alguma incapacidade auditiva no mundo e, até 2050, este número será próximo a 1 bilhão - ou seja, 1 em cada 10 pessoas -, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Foto: Istock / DINO

Deste total, cerca de 15 milhões de pacientes seriam beneficiados com soluções auditivas implantáveis, como o implante coclear. A tecnologia desenvolvida há mais de 30 anos combina o que há de mais moderno para melhorar a qualidade de vida daqueles com perda auditiva do estágio moderado ao profundo.

A Cochlear é líder global nesta modalidade de implantes auditivos. Desde que foi criada, em 1981, já produziu cerca de 550 mil dispositivos, fazendo com que milhares de pessoas ouçam e sejam ouvidas.

No Brasil, cerca de 10 milhões de habitantes apresentam perda auditiva, o que torna o País um mercado atrativo para a empresa. "O Brasil é o nosso principal mercado na América Latina", revela Christopher Bertrand, presidente da Cochlear para a região. Já foram realizados mais de 7 mil implantes no país. Sendo um benefício também ofertado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Por ano, a empresa apresenta receita de AU$ 1,3 bilhões e investe 15% deste total em pesquisa e desenvolvimento para trazer mais conforto e fazer jus ao seu slogan levando o "escutar agora e sempre" aos seus pacientes.

Nos últimos anos, a estratégia da Cochlear tem sido ensinar as pessoas sobre o que é o implante coclear. Isto porque, segundo Bertrand, "apenas 1 em cada 1000 pessoas sabe o que é implante coclear e falamos de uma solução fundamental para saúde".

Devido à relevância do Brasil para os negócios, a reunião anual da empresa foi realizada em São Paulo com os executivos locais, sob o comando de Patrícia Mastrorocco, gerente regional da Cochlear Latinoamérica, e de Pietro Rigamonti, diretor comercial da Politec Saúde, canal exclusivo Cochlear. E contou, ainda, com a presença dos responsáveis pela América Latina, incluindo o presidente, Christopher Bertrand, e os diretores - Francis Abad, diretora de marketing; David Aizpurúa, diretor de operações; e a brasileira Valeria Oyanguren, diretora clínica.  

Para aproveitar a visita, o time participou da ação do Ear Parade, primeiro evento de arte urbana no mundo relacionado à saúde auditiva. Ele é composto de esculturas em formato de orelha customizadas por grandes artistas, do qual a Cochlear é Patrocinadora.

O que é o implante coclear? O implante coclear consiste em um ímã e um eletrodo inserido dentro da cóclea (parte interna do ouvido), ambos ficam invisíveis após a cirurgia. Na parte externa, para captar os sons e enviar para a parte interna, o paciente deve utilizar um processador de som, conectado à parte interna através de um ímã. No ímã externo pode haver um processador de som auricular ou extra auricular, composto por antena e o processador de fala. Após conectado, o aparelho capta os sons e transfere-os diretamente para o nervo auditivo, de forma que o paciente comece a ouvir.

Sobre a Cochlear

Multinacional Australiana com mais de 3.500 colaboradores e investimento de AUD$ 160 milhões em P&D todos os anos. Seu portfólio inclui sistemas de audição para implante coclear e Baha®, os quais foram desenhados para tratar lesões moderadas até as mais profundas perdas de audição. Há mais de 30 anos, a Cochlear já produziu cerca de 550 mil dispositivos auditivos, fazendo com que pacientes de todas as idades, em mais de 100 países, 'escutem  agora e sempre'.



Website: https://www.cochlear.com/br

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade