PUBLICIDADE

Zé Trovão declara fim da paralisação de caminhoneiros

Um dos principais líderes dos protestos de 7 de Setembro disse ainda que Bolsonaro colocou a gestão do País acima de popularidade

10 set 2021 17h57
| atualizado às 18h13
ver comentários
Publicidade

Um dos principais líderes dos protestos contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e a favor do governo, Zé Trovão divulgou um novo vídeo na tarde desta sexta-feira (10) em que declara o fim da paralisação de caminhoneiros, que em seu ápice bloqueou rodovias em ao menos 16 Estados.

Após contrariar Bolsonaro na quinta-feira e manter a ordem para os protestos continuarem, o caminhoneiro mudou o discurso hoje. No vídeo, defendeu a "harmonia entre os Poderes" e afirmou que o presidente colocou a gestão do País acima de sua popularidade ao pedir a liberação das vias e divulgar uma nota em que recuo das ameaças golpistas feitas nos atos 7 de Setembro.

"Ele (Bolsonaro) está fazendo um trabalho que nunca poderia ter feito se não fosse os movimentos dos dias 7, 8, 9 e 10 de setembro. Hoje o Brasil alcança sua liberdade de expressão. Isso está garantido neste acordo, e além disso a harmonia entre os poderes será a partir de hoje lei, nenhum poder poderá mais", afirmou Zé Trovão, que está foragido no México após ter sua prisão decretada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF.

O caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão.
O caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão.
Foto: YouTube/Reprodução / Estadão

Zé Trovão foi uma das lideranças do movimento que inicialmente recebeu de forma negativa o pedido de Bolsonaro para que caminhoneiros liberassem as estradas. Um dia depois, a militância bolsonarista se mostrou novamente surpresa após o presidente divulgar uma declaração à Nação, escrita com a ajuda do ex-presidente Michel Temer, na qual volta atrás do tom adotado nos discursos do 7 de Setembro e até elogiar Moraes, principal alvo dos manifestantes.

No vídeo desta sexta, Zé Trovão afirmou que os caminhoneiros estão respeitando o apelo de Bolsonaro, a partir de um pedido de "confiança" aos seus apoiadores.

O caminhoneiro foi impulsionado nas redes ao convocar apoiadores do presidente a protestar contra os ministros do STF. Em agosto, passou a ser investigado por ordem de Moraes, que pediu sua prisão no início de setembro. Zé Trovão então fugiu para o México. Agora, parlamentares aliados de Bolsonaro tentam garantir sua liberdade, com um pedido apresentado ao Supremo.

Os deputados Vitor Hugo (PSL-GO) e Carla Zambelli (PSL-SP) anunciaram o auxílio ao caminhoneiro após reunião com o presidente e representantes da categoria realizada na quinta-feira no Planalto.

"Ontem muitos acharam que tínhamos perdido, que o presidente tinha nos abandonado, mas a reunião que durou mais de duas horas foi muito decisiva. O presidente colocou sua popularidade abaixo da gestão, para que o Brasil tenha equilíbrio. Isso é muito importante, e nesse movimento alcançamos algo muito importante, o respeito do mundo, e o respeito de muita gente na política, que a partir de agora tomará cuidado com suas ações", afirmou Zé Trovão no vídeo divulgado hoje, em que diz também que está aguardando a deliberação sobre o habeas corpus apresentado ao STF.

Na declaração, o bolsonarista afirmou também que, apesar dos protestos nas estradas terem um fim agora, o movimento continua "alerta". "De olho nas ações, caso as pessoas achem que nós nos afrouxamos ou que nós simplesmente vamos baixar guarda, estão enganadas, estamos respeitando um pedido que o presidente Bolsonaro nos fez", disse Zé Trovão.

Estadão
Publicidade
Publicidade