0

MG: prefeito bate palmas e dança em deboche a manifestantes

Servidores e aposentados pedem pagamento de complementação salarial atrasada desde o início do ano.

10 ago 2017
15h28
atualizado às 15h30
  • separator
  • comentários

O prefeito da cidade mineira de Ipatinga reagiu de maneira inusitada a um protesto de professores e aposentados na Câmara de Vereadores. Sebastião Quintão é do PMDB e entrou dançando, batendo palmas e em seguida deu pulos em meio a um coro que gritava para ele pagar a complementação salarial dos servidores que está atrasada desde janeiro.

Prefeito bate palmas e dança em deboche a manifestantes em MG

O fato ocorreu na segunda-feira (7) durante a aula inaugural de Engenharia Elétrica do Instituto Federal de Minas Gerais.

Os servidores aguardavam a chegada de Quintão no salão da Câmara entoando gritos de “paga prefeito” que, depois de passar por uma porta de acesso, para em frente a um grupo e começa a bater palmas e cantar. Um homem de boné que entra junto com o prefeito e o segue quando ele vai em direção a tribuna chega a empurrar uma mulher que criticava o prefeito.

Em nota, o Sind-UTE repudiou o que chamou de postura vergonhosa e indigna para o que se espera de um prefeito municipal.

Por causa do atraso na verba o sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE) precisou organizar uma campanha de arrecadação de dinheiro para a compra de comida e remédios para a categoria.

A Prefeitura contesta a constitucionalidade da lei que ampara os servidores e, com isso, a ívida total com os beneficiários já chega a R$ 60 milhões.

Com relação ao ocorrido, a assessoria de comunicação do prefeito não considerou que tivesse havido deboche, mas sim que os aplausos de Sebastião Quintão eram a forma civilizada e educada de os manifestantes se portarem durante o evento.

Veja o que dizem as íntegras dos comunicados feitos pelo sindicato e a defesa do prefeito:

Foto: Reprodução

"NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), subsede de Ipatinga, vem a público manifestar seu repúdio e sua indignação em face da infeliz, vergonhosa e indigna postura do Sr. prefeito de Ipatinga Sebastião de Barros Quintão (PMDB), diante dos aposentados e aposentadas da rede municipal de Ipatinga.

Sebastião Quintão, em uma conduta vexatória que não se coaduna com o que SE espera de homens que se dispõem a administrar a coisa pública, debochou da situação de penúria enfrentada pelos trabalhadores e trabalhadoras da cidade.

Ao se deparar com uma manifestação pacífica realizada pela categoria na sede do Poder Legislativo da cidade, por ocasião de um evento naquele local, o prefeito literalmente dançou e zombou de todos os presentes. Os aposentados estão sendo duplamente atingidos em sua honra e dignidade. Primeiro pelo não pagamento dos salários devidos a título de complementação, após anos de dedicação ao serviço público, o que os leva a enfrentar situação de penúria, e agora com uma postura de escárnio do chefe do Poder Executivo, de quem se esperava no mínimo, o respeito.

Mas não. Ao contrário, transparece em suas atitudes, externadas não apenas em uma manifestação desrespeitosa mas pela total falta de comprometimento com a gestão pública, o velho sistema oligárquico opressor, em que os interesses dos trabalhadores pouco importam aos poderosos, que, literalmente, zombam das necessidades dos mais fracos. Postura essa que se revela ainda no descaso e descumprimento de decisões judiciais, na falta de diálogo e no pouco apreço a manifestações democráticas.

Continuaremos na luta por nossos direitos e nos manteremos firmes e vigilantes, combatendo práticas abomináveis em um Estado Democrático de Direito, construindo uma história digna e uma sociedade melhor."

O que diz a Prefeitura de Ipatinga

"Infiltrados, petistas se escondem atrás da fragilidade de servidores aposentados

O vídeo gravado na noite desta segunda-feira, na Câmara de Vereadores, e que tem sido maldosamente usado em redes sociais e outros meios como suposto desrespeito do prefeito de Ipatinga, Sebastião Quintão, à classe dos servidores públicos aposentados, é mais uma ação organizada de opositores políticos ainda inconformados com a fragorosa derrota sofrida nas urnas no último pleito municipal.

Sebastião Quintão venceu as eleições com uma votação mais de três vezes superior à da candidata do PT, o que demonstra que o cidadão ipatinguense não avaliza a irresponsabilidade com o dinheiro público.

A distorção dos fatos é criada pelos mesmos petistas que destruíram as finanças do município nos últimos anos, que dilapidaram os cofres públicos e nos legaram uma dívida de mais de R$ 400 milhões, tentando inviabilizar não apenas a complementação dos aposentados, mas até mesmo o pagamento dos funcionários da ativa.

Alguns destes derrotados, inclusive, hoje continuam vivendo às custas dos próprios servidores, recebendo salários imorais e inconfessáveis, encastelados em cargos vitalícios dentro de sindicatos manipulados por sua sigla política desmoralizada e decadente.

Na mesma noite em que os petistas orquestraram mais um ataque desleal ao prefeito Sebastião Quintão, a administração municipal, em parceria com o Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) e Ministério da Educação (MEC), presenteava a população com a aula inaugural de um curso superior gratuito de engenharia elétrica, há décadas aguardado pela sociedade.

Hostilizando o Executivo durante a cerimônia, inclusive com impublicáveis palavras de baixo calão, na verdade os ativistas sindicais e outros ex-apadrinhados do PT pretendiam também privar deste importante benefício muitos alunos necessitados.

A mesma encenação grosseira e degradante já havia sido produzida em outra ocasião, no hall da Prefeitura, pelos mesmos atores, quando centenas de outros pobres e despossuídos, pessoas das classes mais humildes de nossa cidade, eram socorridos em uma fila de espera onde aguardavam há até sete anos para receberem suas próteses dentais.

Em nenhum momento, o prefeito de Ipatinga foi desrespeitoso com os servidores aposentados, mas ao aplaudir os manifestantes petistas pretendeu demonstrar que esta, sim, deveria ser a forma civilizada e educada de eles se portarem num evento de tanta grandeza, que se traduz pela promoção de melhores oportunidades profissionais a estudantes egressos de escolas públicas por meio de um curso superior gratuito e de qualidade."

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade