1 evento ao vivo

PE: candidatos começam campanha com estratégias distintas

Armando Neto (PTB) visitou Brasília Teimosa, na capital, e Paulo Câmara foi ao sertão

6 jul 2014
16h08
atualizado às 16h21
  • separator
  • 0
  • comentários

O primeiro ato de campanha dos dois principais candidatos ao Governo de Pernambuco, senador Armando Monteiro Neto (PTB) e ex-secretário Paulo Câmara (PSB), neste domingo, foi marcado pelo simbolismo. Enquanto o petebista apostou em Brasília Teimosa, na zona sul do Recife, o socialista viajou para Santa Filomena, no sertão, a 630 quilômetros de distância do Recife.

Candidato do PTB ao governo de Pernambuco, Armando Monteiro Neto (de azul), em caminhada em Brasília Teimosa, na zona sul do Recife
Candidato do PTB ao governo de Pernambuco, Armando Monteiro Neto (de azul), em caminhada em Brasília Teimosa, na zona sul do Recife
Foto: Marcelo Montanini/Terra

O senador Armando Neto realizou, junto aos candidatos a vice-governador, deputado federal Paulo Rubem (PDT) e ao Senado, deputado federal João Paulo (PT), uma caminhada pelo bairro, que possui uma relação estreita com o PT e com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por ele ter realizado o primeiro ato como presidente, em janeiro de 2003, e ter promovido uma reurbanização no local. À época, João Paulo era o prefeito do Recife.

Centenas de militantes receberam os candidatos, que fizeram um corpo a corpo. Considerado um território de João Paulo, ele entrou em diversas casas e conversou as pessoas que encontrava pelo trajeto.

Após cerca de 2 quilômetros de caminhada, Armando Neto fez uma analogia entre a história do local e a sua candidatura. “A história de Brasília Teimosa nos inspira por ser uma história de resistência e teimosia”, declarou o petebista. “Tem um grupo político que quer se perpetuar, mesmo quando acaba um ciclo”, ironizou.

O candidato ao Senado agradeceu o carinho da população e aproveitou um breve discurso para alfinetar a gestão do atual prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), que apoia o candidato adversário. “Nossos esforços deu qualidade de vida e teto às famílias. É uma pena vermos todos os esforços que tivemos aqui ser mal cuidado, esquecido”, afirmou João Paulo.

Após a caminha em Brasília Teimosa, a coligação seguiu para Casa Amarela, o um dos bairros mais populosos do Recife, com mais de 52 mil habitantes. A princípio seria realizado um comício em uma agremiação, mas uma suposta pressão do PSB nos diretores da agremiação teria cancelado o evento, que acabou sendo realizada outra caminhada no Morro da Conceição. O PSB nega qualquer pressão.

Paulo Câmara
O candidato do ex-governador de Pernambuco e presidenciável, Eduardo Campos (PSB), ex-secretário Paulo Câmara (PSB) também apostou no simbolismo no primeiro ato. Ele viajou mais de 600 quilômetros até Santa Filomena, local cuja Campos foi o primeiro governador a visitar e realizou algumas obras de mobilidade.

Junto aos candidatos a vice, deputado federal Raul Henry (PMDB), e ao Senado, ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho (PSB), e candidatos a deputados estaduais e federais, Câmara realizou uma caminhada pela feira livre de Socorro, distrito do município.

Os discursos, além de pedir voto, enalteceram a figura do presidenciável Eduardo Campos. 

Outros candidatos
O candidato do PSOL, José Gomes Neto, realizou um ato no Parque da Jaqueira, na Zona Norte do Recife, a favor de eleições limpas, junto a candidato ao Senado, Albanise Pires e candidatos proporcionais.

Em discurso, Gomes convocou a população a exercer um papel ativo nas eleições, não apenas através da militância, mas também fiscalizando e denunciando irregularidades. “Fizemos a opção de, neste primeiro dia de campanha, buscar sensibilizar a população para que exija eleições limpas”, disse.

“É importante que o eleitor não venda o voto e denuncie quem compra, e também que exija prestações de contas durante o processo eleitoral. Ele deve estar atento ainda ao financiamento das campanhas milionárias, pois, como diz o ditado, ‘quem paga a banda escolhe a música’”, declarou Gomes Neto.

A coligação Mobilização por Poder Popular (PSOL/PMN) diz não aceitar doações de construtoras, bancos, agronegócio e empresas de transporte, além de empresas que lucram com a privatização da saúde e da educação.

Os outros dois candidatos, Miguel Anacleto (PCB) e Jair Pedro (PSTU), não tiveram agenda pública neste primeiro dia de campanha.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade