PUBLICIDADE

Política

Padre Kelmon diz que Soraya Thronicke pediu desculpas por 'padre de festa junina'; senadora nega

Chamada de vídeo entre 'candidato padre' e senadora foi intermediada por Kassyo Ramos, presidente interino do PTB, oito meses depois da eleição

7 jun 2023 - 06h10
(atualizado às 07h40)
Compartilhar
Exibir comentários
Padre Kelmon ainda está irritado com Bonner: "Me tratou como se eu fosse uma criancinha"
Padre Kelmon ainda está irritado com Bonner: "Me tratou como se eu fosse uma criancinha"
Foto: Reprodução

A senadora Soraya Thronicke (União Brasil-MS) e Padre Kelmon (PTB), o "candidato padre", conversaram por videoconferência pela primeira vez, oito meses depois de um debate acalorado que resultou em uma série de memes na campanha eleitoral de 2022. A chamada, intermediada pelo presidente interino do PTB, Kassyo Ramos, terminou sem reconciliação e com um novo desentendimento. Kelmon diz que Soraya pediu desculpas pelo uso de expressões como "padre de festa junina". A senadora nega.

Em um embate improvável em 29 de setembro do ano passado, os então candidatos à Presidência trocaram farpas durante todo o debate eleitoral da TV Globo, e a senadora provocou o adversário: "O senhor não tem medo de ir para o inferno?".

O reencontro por vídeo, em 26 de maio, ocorreu quando Soraya almoçava com Ramos em Brasília. Em entrevista a um podcast na segunda-feira, 5, Kelmon afirmou que daria "em primeira mão" a notícia de uma suposta reconciliação dos dois.

A polêmica gerou memes e críticas. Na noite de 29/9, durante o debate da Rede Globo, a candidata Soraya Thronicke o chamou de "padre de festa junina".
A polêmica gerou memes e críticas. Na noite de 29/9, durante o debate da Rede Globo, a candidata Soraya Thronicke o chamou de "padre de festa junina".
Foto: Tv Globo/Reprodução / Flipar

Na versão do petebista sobre o encontro virtual, houve um pedido mútuo de desculpas. "Quero aproveitar que estamos nos falando pela primeira vez depois do debate, que a senhora me desculpe se eu fui, em algum momento, grosseiro contigo, e se falei alguma coisa que lhe desagradou", disse Kelmon.

Em seguida, segundo o petebista, a senadora teria repetido o gesto. "Ela fez a mesma coisa. E me disse: 'Padre, eu também preciso lhe pedir desculpas, porque eu estava nervosa e te chamei de algo que não ficou muito bom.'"

No podcast, o suplente de Roberto Jefferson na eleição passada ainda disse que Soraya teria o convidado para conhecer o gabinete dela em Brasília e prometido falar publicamente sobre ele. "Está nascendo uma amizade e eu espero que isso dê frutos para o Brasil", afirmou Kelmon.

Nesta terça-feira, 6, ele confirmou a versão sobre a conversa entre os dois ao Estadão. "Combinamos até de nos encontrarmos em Brasília. Eu mesmo faço questão de visitá-la", disse.

No entanto, segundo a senadora, a conversa não teve esse tom. Soraya disse à reportagem, também nesta terça, que não pediu desculpas a Kelmon e que, pelo clima de campanha da época, não vê motivos suficientes para se desculpar com o antigo adversário.

De acordo com a parlamentar, quando o presidente do PTB sacou o celular e mostrou a videochamada na qual estava Padre Kelmon, ele teria atendido com "Deus te abençoe, minha filha". Esse foi o gancho para uma resposta que, conforme Soraya, teve tom de brincadeira. "Só não pode dar a extrema-unção."

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade