0

Fraternidade é base de sociedade justa, diz Raquel Dodge

Procuradora-geral da República discursou na abertura da Campanha da Fraternidade 2019

6 mar 2019
12h21
atualizado às 12h45
  • separator
  • comentários

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, discursou na abertura da Campanha da Fraternidade 2019 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) costurando os princípios da fraternidade e solidariedade com os primeiros artigos da Constituição que visam a construção de uma sociedade justa e igualitária. "A Constituição também clama a sociedade a ser fraterna e sem preconceitos em respeito à pessoa humana" afirmou.

A campanha católica deste ano tem como tema "Fraternidade e Políticas Públicas". "Esta edição da campanha toca em uma dimensão da fraternidade que fala aos gestores públicos, serviços públicos que são postos à nossa disposição", disse.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, participa do lançamento da Campanha da Fraternidade 2019 com o tema "Fraternidade e Políticas Públicas"
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, participa do lançamento da Campanha da Fraternidade 2019 com o tema "Fraternidade e Políticas Públicas"
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Raquel Dodge falou sobre a necessidade da fraternidade nas políticas públicas para imigrantes, "para enfrentar as muitas formas de corrupção e crime organizado, tráfico de drogas, especulação financeira, lavagem de dinheiro". Ela citou ainda outros problemas atuais como a violência doméstica e o rompimento de barragens, lembrando o caso recente de Brumadinho (MG).

O cardeal Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, afirmou que o tema da campanha deste ano é exigente e ainda pouco conhecido. "É importante refletir sobre o tema por meio de encontros, reuniões, palestras", disse. "A igreja não pretende oferecer soluções técnicas e nem se deixa guiar por ideologias ou partidos", afirmou.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade