PUBLICIDADE

CPI aprova convocação de ex-mulher do presidente Bolsonaro

Ana Cristina Valle é mãe de Jair Renan e é suspeita de conexão com lobista da Precisa

15 set 2021 15h48
| atualizado às 15h55
ver comentários
Publicidade
Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro
Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro
Foto: Fábio Motta / Estadão Conteúdo

Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e mãe de seu filho Jair Renan Bolsonaro, será convocada a prestar depoimento à CPI da Covid, confirmou o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), nesta quarta-feira, 15.

"Acabamos de aprovar requerimento de convocação da Sra. Ana Cristina Bolsonaro. Temos certeza que seu depoimento contribuirá muito para as investigações desta CPI", escreveu o senador em suas redes sociais.

O senador bolsonarista Marcos Rogério (DEM-RO) foi o único voto contrário à convocação.

De acordo com informações apuradas pela comissão, Ana Cristina tem relação com o lobista da Precisa Medicamentos Marconny de Faria, que presta depoimento à CPI nesta quarta-feira, e tem irritado os senadores com respostas evasivas.

Alessandro Vieira (Cidadania-SE) afirmou, para o colegiado, que a ex-mulher de Jair Bolsonaro tentou influenciar no cargo de comando da Defensoria Pública da União (DPU), atendendo a um pedido do lobista, segundo uma troca de mensagens entre os dois encontrada durante perícia da CPI.

Amizade com Jair Renan

À CPI, Marconny Faria admitiu que tem “relação de amizade” com Jair Renan. O depoente também afirmou conhecer a mãe, Ana Cristina Valle, mas negou que tenha sido apresentado ou que mantenha negócios com outros integrantes da família.

Marconny disse que conheceu Jair Renan Bolsonaro “por amigos em comum logo que ele chegou a Brasília”. O depoente reconheceu ainda que ajudou o filho do presidente a abrir a empresa Bolsonaro Jr Eventos e Mídia.

"Ele [Jair Renan] queria criar uma empresa de influencer. Só apresentei ele para um colega tributarista que poderia auxiliar na abertura dessa empresa", disse.

Respondendo a Alessandro Vieira, Marconny admitiu ter comemorado seu aniversário no camarote de Jair Renan Bolsonaro no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Quando ressalvou que a festa não era ilegal, Alessandro rebateu: "A ilegalidade não está na festa, está no que se consegue nas festas. Elucida-se por que vale a pena contratar o Marconny. O Marconny é o cara que vai para o churrasco com a advogada do presidente [Karina Kufa] e que faz a sua festa de aniversário no camarote do filho do presidente."

* Com informações da Agência Senado

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade