0

Bolsonaro vai se reunir com Moro para falar sobre vazamento

Segundo porta-voz, presidente já conversou com ministro da Justiça, mas quer se encontrar pessoalmente com ex-juiz

10 jun 2019
20h28
atualizado às 21h24
  • separator
  • 0
  • comentários

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro irá se encontrar pessoalmente, "em princípio" nesta terça-feira, 11, com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, para tratar do vazamento de suposto conteúdo de mensagens trocadas pelo então juiz federal e integrantes do Ministério Público Federal, informou o porta-voz da Presidência a jornalistas, Otávio Rêgo Barros. Segundo ele, Bolsonaro se colocará "à disposição" para "compartir" com Moro os fatos referentes ao vazamento.

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro Sérgio Moro participam do início do funcionamento do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sul
O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro Sérgio Moro participam do início do funcionamento do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sul
Foto: Rodolfo Buhrer / Fotoarena / Estadão Conteúdo

Durante conversa com a imprensa, o porta-voz disse que o presidente não se pronunciará a respeito do conteúdo das mensagens, aguardando o retorno de Moro para a conversa. "Como já apresentei, ele fez contato com o ministro Sérgio Moro e a partir de amanhã colocar-se-a à disposição para compartir com o próprio ministro os fatos referentes a esse vazamento", respondeu o porta-voz.

Quando perguntado se a situação apontaria para o caso de uma eventual renúncia de Moro, Rêgo Barros afirmou que "jamais foi tocado nesse assunto". Questionado ainda se o governo teria alguma estratégia em torno da reação da oposição no Congresso Nacional diante dos fatos, Rêgo Barros respondeu que não, uma vez que Bolsonaro não teve a oportunidade de conversar com o ministro da Justiça. "Por consequência, o governo não tem nenhum planejamento de momento", afirmou.

Segundo o porta-voz, a conversa entre os dois é importante para o presidente "conhecer do próprio ministro a sua percepção" e, "a partir dessa conversa traçar linhas e estratégias para avançar" no que o governo quer para o País. "A importância é o presidente conhecer do próprio ministro a sua percepção, e a partir dessa conversa traçar linhas de ação, e estratégias para avançar no sentido do que tenhamos o País no rumo certo, em particular no tema economia, e obviamente outros temas que possam estar tangenciando este tema, e precisam ser solucionados o mais pronto possível", disse.

Veja também:

9 coisas que você não sabia sobre a banda Scalene
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade