PUBLICIDADE

Bolsonaro: Não são 3 Poderes, são 2: Executivo e Legislativo

De olho na aprovação da PEC do voto impresso, presidente afirmou que as medidas do governo precisam ser "avalizadas pelo Parlamento"

24 jun 2021 16h21
| atualizado às 16h48
ver comentários
Publicidade
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Foto: Marcos Corrêa / PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reafirmou a união entre os poderes Executivo e Legislativo que, em sua visão, se aprimorou nos últimos anos, em detrimento das relações com a Justiça.

"Ninguém faz nada sozinho. Eu até costumo dizer que não são Três Poderes, são Dois Poderes: Executivo e Legislativo juntos e o Judiciário, do outro lado", disse em discurso durante cerimônia de assinatura da ordem de serviço do Ramal do Apodi, no Rio Grande do Norte.

De olho na aprovação da PEC do voto impresso, de autoria da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), ele afirmou que as medidas do governo precisam ser "avalizadas pelo Parlamento", mas ressaltou o controle do Executivo sobre o Orçamento.

"Muitos parlamentares têm boas propostas, mas no final das contas quem vai botar a mão na massa é o Executivo". O presidente destacou também a "harmonia" entre ele e os presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Durante discurso em Pau dos Ferros (RN), para a entrega de obras hídricas, Bolsonaro novamente se eximiu da responsabilidade pelas perdas econômicas da pandemia do novo coronavírus. "Em nenhum momento, apesar de ter poderes para tal, eu fechei o comércio. Apesar de ter armas na mão, em momento algum impus o lockdown", defendeu-se. Na cerimônia, Bolsonaro se referiu às Forças Armadas como "nosso Exército". "Eu respeito, acima de tudo, a liberdade do nosso povo".

Estadão
Publicidade
Publicidade