PUBLICIDADE

Bolsonaro impede panelaço no ‘JN’; Globo reage em 24 minutos

Estratégia de driblar o telejornal do canal ‘inimigo’ funcionou, mas a emissora do clã Marinho fez contra-ataque

3 jun 2021 08h41
ver comentários
Publicidade

A escolha da quarta-feira (2) e da faixa das 20h30 para o 14º pronunciamento em cadeia de rádio e TV de Jair Bolsonaro não foi ao acaso.

Desta vez, os âncora do ‘JN’, William Bonner e Renata Vasconcellos, não puderam noticiar o panelaço contra Bolsonaro
Desta vez, os âncora do ‘JN’, William Bonner e Renata Vasconcellos, não puderam noticiar o panelaço contra Bolsonaro
Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República/Divulgação (Fotomontagem: Blog Sala de TV)

É o dia da semana em que o ‘Jornal Nacional’ começa mais cedo (às 20h) e termina antes do habitual (justamente às 20h30) por conta da transmissão do futebol.

Com isso, o principal telejornal da Globo — visto por cerca de 50 milhões de brasileiros nos quatro cantos do País — ficou impedido de repercutir o inevitável panelaço contra o presidente.

Dito e feito. Bolsonaro falou por 5 minutos e os protestos fizeram muito barulho, como nas aparições anteriores do chefe do Executivo em transmissões obrigatórias na TV.

Nessas ocasiões, o ‘JN’ sempre exibiu imagens das manifestações com panelas em várias cidades, a partir de vídeos postados em redes sociais.

Desta vez, a estratégia de impedir a repercussão deu certo. Ou quase. Às 20h59, 24 minutos após o presidente sair do ar, a emissora fez uma chamada inusual do ‘Jornal da Globo’.

A âncora Renata Lo Prete informou a respeito dos panelaços. Imagens foram geradas. Ela anunciou a cobertura completa dos protestos na edição que começaria depois da faixa esportiva.

De acordo com dados prévios, o pronunciamento de Bolsonaro marcou 21 pontos de média na Globo. Este índice representa 4,3 milhões de telespectadores somente na região metropolitana de São Paulo.

Quando Renata Lo Prete destacou o panelaço ao surgir no intervalo do capítulo da novela ‘Império’, o canal chamado de “inimigo” pelo presidente havia conquistado mais 2 pontos no ranking da Kantar Ibope.

Curiosidade: na estatal TV Brasil, que chegou a ser ameaçada de extinção por Bolsonaro em razão de ser vista como “a TV do Lula”, o pronunciamento presidencial ficou com 0.3 ponto de audiência, ou seja, 60 mil pessoas sintonizadas na Grande SP. A Globo teve 71 vezes mais público.

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
Publicidade
Publicidade