0

Assessores de Alcolumbre ganham R$ 20 mil por dia nas férias

Equipe foi paga para assessorar o presidente do Senado em Macapá, mesmo quando ele estava em Brasília

11 jan 2020
05h10
atualizado às 08h54
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Uma equipe de quatro assessores lotados no gabinete do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), encerrou o mês de dezembro com recebimento de R$ 20 mil de diárias durante o período de recesso parlamentar. Eles receberam para assessorar o senador em Macapá, até mesmo durante período em que o parlamentar esteve em Brasília.

No dia 20 de dezembro de 2019, Giulia Raphaela Lima Carrera, Marcos David da Costa Brandão, Ana Tereza Lyra Campos Meirelles e Paulo Augusto de Araujo Boudens partiram para o Amapá, que também é o reduto eleitoral de Alcolumbre. Com a comitiva também viajaram oito policiais legislativos. Ao todo, as despesas com diárias nesse recesso de fim de ano para a equipe do presidente do Senado alcançou R$ 80 mil.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil / Estadão

Giulia Raphaela - que é assessora parlamentar de Alcolumbre desde a época em que ele atuava na política local do Macapá - e Paulo Augusto, que é chefe de gabinete do senador, receberam diárias por 10 dias consecutivos, incluindo no dia de Natal. A dupla foi beneficiada por diárias até mesmo em dias que Alcolumbre não esteve no Amapá.

No dia 27 de dezembro, por exemplo, Alcolumbre postou em suas redes sociais que havia passado o dia em Brasília resolvendo questões de seu Estado. Apenas no dia seguinte, um domingo, dia 28, ele voltou ao Macapá. Os dois assessores receberam R$ 1.276,17 em diárias para assessorar o senador "em viagem oficial no Amapá" naquele dia 27, mesmo com o parlamentar em Brasília. Dois policiais legislativos do Senado também receberam o mesmo valor, com a mesma justificativa.

Nas redes sociais, Alcolumbre afirmou: "27 de dezembro e a gente tá como?! Trabalhando muito em Brasília! Ao longo dos últimos meses temos dado muitas notícias boas para o nosso Amapá. Não poderia ser diferente nestes últimos dias do ano. E, especialmente neste 27 de dezembro, aqui em Brasília, estou muito feliz em compartilhar com vocês a liberação que conseguimos de R$ 110 milhões, para a finalização das obras estruturantes da nossa capital."

Por meio de nota, o Senado confirmou que, no dia 27, Alcolumbre esteve em Brasília e retornou na manhã seguinte o Amapá. Mas afirmou que os servidores ganharam diárias porque "permaneceram no Estado cuidando dos preparativos para os eventos subsequentes".

Durante a jornada de recesso em Macapá, Alcolumbre fez vários vídeos e postagens nas redes sociais das suas atividades políticas locais, onde aparecia inaugurando obras e exibindo suas benfeitorias políticas. Em um desses vídeos, gravado em 30 de dezembro, o presidente do Senado lamentou que as atividades do dia teriam de ser canceladas por causa da chuva, já que o aeroporto da capital do estado estava interditado e ele e sua comitiva estavam impedidos de partir para o interior do Estado.

"Estávamos com tudo pronto para irmos ao encontro de vocês (se referendo à população do Jari), mas infelizmente nossa viagem teve que ser adiada, por conta do mau tempo", disse. Apesar do cancelamento da agenda, logo pela manhã, as diárias aos assessores foram devidamente pagas.

A assessoria do Senado confirmou que os quatro assessores estão lotados no gabinete de Alcolumbre, mas ressaltou que eles não cometem nenhuma irregularidade ao receber diárias em viagem oficial, já que a lotação de trabalho dos servidores é Brasília.

Veja também:

Ministro da Saúde alerta para aumento de casos da covid-19 no interior do Brasil
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade