1 evento ao vivo

Sargento preso com cocaína vira réu por tráfico internacional

9 jan 2020
17h14
atualizado às 20h05
  • separator
  • 0
  • comentários

O segundo-sargento Manoel Silva Rodrigues, preso em junho do ano passado por autoridades da Espanha em um voo da Força Aérea Brasileira (FAB) transportando 37 quilos de cocaína pura, virou réu pela Justiça Militar pelo crime de tráfico internacional de drogas, informou a assessoria de imprensa do Superior Tribunal Militar (STM).

Manoel Silva Rodrigues foi preso no dia 26 de julho em Sevilha, na Espanha, quando tentava desembarcar do avião reserva da comitiva presidencial com 39 kg de cocaína
Manoel Silva Rodrigues foi preso no dia 26 de julho em Sevilha, na Espanha, quando tentava desembarcar do avião reserva da comitiva presidencial com 39 kg de cocaína
Foto: Manoel Silva Rodrigues / Reprodução / Estadão Conteúdo

A aeronave da FAB onde o sargento foi detido era parte de uma tripulação de apoio ao presidente Jair Bolsonaro. O caso teve forte repercussão no ano passado.

O crime de tráfico internacional de drogas não está previsto no Código Penal Militar, mas, segundo a assessoria do STM, o caso se enquadra na hipótese de crime de natureza militar por extensão diante do fato de que o sargento estava em atividade durante a situação que supostamente atentou contra a ordem administrativa militar.

O magistrado que tornou o sargento réu, Frederico Magno de Melo Veras, designou o dia 21 de maio para ouvir testemunhas no processo. O militar deverá ser citado por acordo de cooperação jurídica internacional, por meio do Ministério da Justiça, uma vez que está preso na Espanha.

Ainda não foi possível contactar a defesa do sargento para que ela comente a decisão.

Veja também:

O que se sabe (e o que ainda é dúvida) sobre a decisão de Harry e Meghan

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade