4 eventos ao vivo

Bolsonaro e Rodrigo Maia trocam bilhete sobre Collor na PGR

Presidente participa de formatura de 16 procuradores; deputado tem apoio do PSL à reeleição na Câmara

11 jan 2019
23h23
atualizado em 12/1/2019 às 10h35
  • separator
  • comentários

BRASÍLIA - Em solenidade de formatura de 16 procuradores da República - entre os quais, apenas três mulheres -, na noite desta sexta-feira, 11, o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), trocaram bilhete e confidências. Maia conta com o apoio oficial do PSL, partido de Bolsonaro, para ser reconduzido ao comando da Câmara - a eleição será 1.º de fevereiro.

O presidente da câmara dos deputados, Rodrigo Maia e o presidente Jair Bolsonaro, durante solenidade de posse dos aprovados no vigésimo nono concurso público para provimentos de cargos de procurador da república, nesta sexta-feira (11), na procuradoria geral da república, em Brasília
O presidente da câmara dos deputados, Rodrigo Maia e o presidente Jair Bolsonaro, durante solenidade de posse dos aprovados no vigésimo nono concurso público para provimentos de cargos de procurador da república, nesta sexta-feira (11), na procuradoria geral da república, em Brasília
Foto: WALTERSON ROSA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO / Estadão Conteúdo

Na mensagem que escreveu, Bolsonaro faz uma pergunta sobre o senador Fernando Collor (PTC-AL), que, segundo assessores do governo, avalia uma candidatura à presidência do Senado. "Collor é ...dato?", pergunta a Maia - registro da imagem do bilhete não mostra a mensagem completa.

O presidente da Câmara pegou o bilhete, leu e fez um semblante de dúvida. Em seguida, Bolsonaro recolhe o papel de volta, dobra e guarda no bolso do paletó. O deputado, então, se aproximou de Bolsonaro para uma conversa "ao pé de ouvido", entrecortada por risos e sinais de positivo com o polegar.

Em seu discurso, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse que Bolsonaro "inaugura um mandato de mudanças" e "renova a esperança" de uma vida melhor para os brasileiros.

Veja também:

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade