PUBLICIDADE

Velocidade nas marginais cairá na 2ª quinzena de julho

Com as mudanças, as pistas expressas terão a velocidade reduzida dos atuais 90 km/h para 70 km/h, e as locais, de 70 km/h para 60 km/h

30 jun 2015 - 14h31
Ver comentários
Publicidade
As marginais Pinheiros e Tietê lideraram o ranking de acidentes com mortes em São Paulo em 2014: juntas, somaram 73 mortos
As marginais Pinheiros e Tietê lideraram o ranking de acidentes com mortes em São Paulo em 2014: juntas, somaram 73 mortos
Foto: Marcos Bezerra / Futura Press

A redução de velocidade nas pistas expressa e local das marginais Pinheiros e Tietê, anunciada ano passado pela Prefeitura de São Paulo, será feita na segunda quinzena do mês que vem. A informação foi confirmada nesta terça-feira pelo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, segundo o qual a sinalização ao motorista já deve começar a ser trocada nos próximos dias.

Com as mudanças, as pistas expressas terão a velocidade reduzida dos atuais 90 km/h para 70 km/h. Já as pistas locais terão a velocidade máxima reduzida de 70 km/h para 60 km/h.

Siga o Terra Notícias no Twitter

De acordo com Tatto, os radares serão adaptados às novas velocidades. Indagado se o usuário será convencido da necessidade das mudanças, o secretário definiu: “Não é uma questão de convencer ninguém, mas de salvar vidas: nas duas marginais hoje é onde mais morre gente em função velocidade”, declarou, para completar: “O que não pode continuar é uma média de 1.300 pessoas morrendo no trânsito todo ano e a gente não fazer nada”.

Pelos números da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), ano passado a capital registrou 1.195 acidentes com mortes, mais de 7% que as 1.114 mortes do ano anterior. Só na marginal Tietê, via campeã em acidentes com mortes na cidade, foram 40 mortes em 2014, diante de 33 mortes na Pinheiros.

Além das marginais, ruas e avenidas da região central também estão passando por alterações no limite de velocidade – caso da Consolação, que desde ontem passou de 60 km/h para 50 km/h, e de ruas como Augusta, Bela Cintra, Peixoto Gomide, Frei Caneca e Barata Ribeiro, nas quais o máximo permitido agora é de 40 km/h.

Sobre o estudo da CET que definirá se a avenida Paulista poderá ser fechada para pedestres e ciclistas aos domingos – a exemplo do que foi feito no último, com a inauguração da ciclovia –, Tatto afirmou que o assunto será discutido nesta quarta-feira em uma reunião do Conselho das Cidades.

“Estamos aguardando da área técnica um relatório sobre impacto que teve a abertura da Paulista para pedestres e ciclistas, e partir disso, e de mais estudos, teremos esse debate no conselho não só em relação à Paulista, como ao Minhocão”, disse Tatto, referindo-se à possibilidade de fechamento do Elevado Costa e Silva para os veículos automotivos, aos sábados, já a partir deste.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade