PUBLICIDADE

Quadrilha ataca bancos e faz moradores reféns em Araçatuba

Em vídeos, é possível ver moradores da cidade amarrados em carros sendo feitos de 'escudo humano' para a fuga dos suspeitos

30 ago 2021 04h28
| atualizado às 07h07
ver comentários
Publicidade

Homens fortemente armados invadiram e atacaram pelo menos três agências bancárias do Centro de Araçatuba, a 521 km de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira, 30.

Amarrados em carros, reféns foram feitos de 'escudo humano' para impedir ataques da polícia contra os criminosos.  
Amarrados em carros, reféns foram feitos de 'escudo humano' para impedir ataques da polícia contra os criminosos.
Foto: Reprodução/Twitter / Estadão

Segundo a TV Globo, três pessoas morreram, sendo dois moradores e um criminoso. Duas pessoas foram presas.

De acordo com relato de moradores nas redes sociais, após o ataque ao banco e troca de tiros com a polícia, pedestres e motoristas foram abordados e feitos reféns. Em vídeos, é possível ver moradores da cidade amarrados em carros sendo feitos de 'escudo humano' para a fuga da quadrilha.

O prefeito de Araçatuba, Dilador Borges (PSDB), afirmou em entrevista à Globo que comunicou o assalto ao governador João Doria durante a madrugada e a cidade recebeu reforço de segurança de Bauru, São José do Rio Preto e Presidente Prudente.

Borges recomendou que a população aguarde em casa enquanto o trabalho da polícia é feito, e acrescentou que os criminosos podem ter esparramado artefatos explosivos nas vias enquanto fugiam. "Eles colocaram barricadas nas rodovias principais, atearam fogo em carros e caminhões", disse.

A orientação da Polícia Militar é de que a população local não saia de casa devido a essa suspeita de explosivos espalhados pela cidade. Segundo a PM, pelo menos dez carros foram utilizados na ação.

A Santa Casa de Araçatuba informou que atendeu duas pessoas feridas no ataque, um adulto que foi baleado e um adolescente que foi atingido por estilhaços de um explosivo.

Ainda de acordo com a Polícia Militar, algumas entradas da cidade foram fechadas pela quadrilha para evitar que reforços policiais cheguem ao local. Por causa da gravidade da ocorrência, o Baep de São José do Rio Preto, a 151,5 km de Araçatuba, foi acionado para auxiliar no caso.

Estadão
Publicidade
Publicidade