PUBLICIDADE

Motores de avião que caiu com Marília passarão por perícia

Equipamentos resgatados após acidente em cachoeira no interior de Minas serão analisados por empresa em Sorocaba. Fuselagem foi levada ao Rio

9 nov 2021 13h24
| atualizado às 13h31
ver comentários
Publicidade

Os motores do avião que caiu em Caratinga (MG), no último dia 5, causando a morte de cinco pessoas, entre elas a cantora sertaneja Marília Mendonça, serão analisados em uma empresa especializada de Sorocaba, interior de São Paulo. Já a fuselagem do bimotor foi embarcada nesta terça-feira, 9, para o Rio de Janeiro. As análises fazem parte da perícia que o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) realiza nos destroços para identificar as causas do acidente.

Avião foi retirado do local do acidente no domingo
Avião foi retirado do local do acidente no domingo
Foto: Geraldo Mendes da Silva / Divulgação

Conforme a Polícia Civil de Caratinga, que também investiga o acidente, um dos motores caiu em uma área de mata, provavelmente após se chocar com cabos de uma linha de transmissão de energia da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Um pedaço do cabo estava enrolado na hélice do avião. O outro motor estava submerso nas águas da cachoeira existente no local da queda. Os equipamentos foram recuperados por uma empresa de guincho contratada pela PEC Táxi Aéreo, proprietária do avião.

A perícia deve apontar se os equipamentos já apresentavam algum problema antes do choque com a linha de transmissão. Os motores devem chegar a Sorocaba nesta quarta-feira, 10, e serão levados para a empresa Pratt & Whitney Canadá do Brasil, instalada no aeroporto local. A empresa canadense, que tem filial em Sorocaba, é uma divisão da Pratt & Whitney americana e tem importante participação no mercado da aviação, principalmente na fabricação de motores de aeronaves.

Estadão
Publicidade
Publicidade