PUBLICIDADE

Mãe de estudante da Unicamp morta a facadas se manifesta sobre o crime

Em carta aberta ao público, a matriarca pediu para que as pessoas foquem no legado da filha, não na tragédia

23 mai 2022 11h24
| atualizado às 15h18
ver comentários
Publicidade
Mayara Roquetto
Mayara Roquetto
Foto: Facebook

Maria Lourdes Roquetto se manifestou pela primeira vez após a morte da filha, Mayara Roquetto Valentim. Em carta aberta ao público, compartilhada entre sábado e domingo, 22, ela agradeceu as mensagens de solidariedade.

Mayara tinha 23 anos, era estudante da Unicamp e foi assassinada com 28 facadas, em 15 de maio, enquanto fazia uma caminhada na Serra Paulista, em São João da Boa Vista (SP), por Michael Douglas da Silva, de 28 anos. Ele foi preso e confessou o crime.

Na postagem, Maria Lourdes compartilhou também seis fotos em que Mayara aparece sorridente. No texto, a matriarca diz que seus pais a ensinaram a não deixar de acreditar em Jesus e Maria e a entregar na mão deles tudo que não consegue resolver. Contou também, que apesar de nunca ter pensado que passaria por uma situação dessa, sempre se colocou no lugar de outras mães que passaram por isso.

Segundo Maria Lourdes, Deus lhe emprestou Mayara, que foi muito amada e, por sua vez, retribuiu sendo carinhosa, afetiva, amorosa, alegre e caridosa com todos.

"A força que tem me mantido de pé vem de Deus, de Maria e das intercessões e manifestações de solidariedade recebidas por todas as pessoas que demonstraram empatia e enviaram sua luz e seu conforto para com esse momento", escreveu ela.

A mãe de Mayara, finaliza a postagem pedindo que as pessoas não foquem na tragédia, mas no legado da estudante.

"Irradiava positividade, alegria, luz e amor por onde passava", concluiu.

Carta publicada por Maria Lourdes
Carta publicada por Maria Lourdes
Foto: Facebook

 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade