1 evento ao vivo

Ibama aplica multa diária de R$ 100 mil à Vale por falha no resgate de animais

Animais atolados na lama de rejeitos foram abatidos a tiros por helicóptero que fazia voos rasantes; esta é o sexto auto de infração aplicado pelo Ibama

11 fev 2019
20h40
atualizado em 12/2/2019 às 14h25
  • separator
  • comentários

BRASÍLIA - O Ibama impôs uma multa diária de R$ 100 mil contra a mineradora Vale, até que a empresa execute "de forma integral e satisfatória" o plano de salvamento de animais atingidos pelo desastre de Brumadinho. As exigências do órgão ambiental incluem medidas como a instalação de hospital de campanha para reabilitação dos animais resgatados e centro para triagem e abrigo.

Este é o sexto auto de infração aplicado pelo Ibama contra a Vale, responsável pela catástrofe causada pelo rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Minas Gerais. As outras cinco multas já aplicadas somam R$ 250 milhões.

"Em 26 de janeiro, o Ibama havia determinado por meio de notificação que a mineradora iniciasse em até 24 horas a execução do plano de salvamento de fauna e entregasse relatórios diários com informações sobre os animais resgatados", declarou o Ibama. "Em vistorias, agentes ambientais constataram atraso na realização das obras. Os relatórios enviados pela empresa não atendem integralmente as exigências estabelecidas na notificação."

A reportagem do Estado flagrou, no dia 29 de janeiro, um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que fazia voos rasantes em uma área devastada do Córrego do Feijão e fuzilava animais que estavam atolados. Foram mais de 20 disparos, até o que o helicóptero partiu.

A execução dos animais foi confirmada ao Estado pelo chefe da Defesa Civil de Minas, coronel Evandro Geraldo Borges. "O que vamos fazer? Deixar o animal sofrendo? Estamos sim, com equipe em campo executando esse trabalho, mas essa decisão só é tomada nos casos em que não há outra opção", declarou, na ocasião.

O objetivo da multa diária, que tem sido aplicada desde sexta-feira, 8, é exigir o cumprimento imediato das determinações com o objetivo de cessar a degradação ambiental. O valor da multa, segundo o Ibama, é o máximo previsto para esse tipo de infração, conforme a Lei de Crimes Ambientais.

Vale monta hospital veterinário em área atingida

No domingo, 10, no Córrego do Feijão, a reportagem observou que um hospital veterinário estava sendo montado pela Vale no Córrego do Feijão. Ali, no momento em que chegavam vários equipamentos, havia oito cachorros, três filhotes de gatos e várias aves já sendo atendidos.

O veterinário Abílio Rigueira Domingos, contratado pela empresa, disse que a estrutura era para receber animais de pequeno porte e já estava apto para fazer atendimentos emergenciais e também tratamentos mais longos e cirurgia.

Por meio de nota, a Vale informou que além deste hospital, há outros dois pontos de atendimento: um Centro de Triagem e Acolhimento em Brumadinho e a Fazenda Abrigo de Fauna.

Segundo a empresa, mais de 100 profissionais estão em campo para rastrear, resgatar e atender os animais. Até domingo à noite, segundo a empresa, foram resgatados 172 animais, entre domésticos (bovinos, equinos, aves) e silvestres (aves, répteis, mamíferos), que ficam em ambiente separado.

Por meio de nota, a Vale informou que "todas as exigências contidas no auto de infração foram devidamente atendidas pela empresa, que já prestou os esclarecimentos solicitados diretamente ao órgão ambiental e está avaliando as providências a serem adotadas em relação aos autos de infração recebidos."

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade