0

Com chutes na cabeça, policiais militares agridem catador e são afastados em SP

Imagens mostram agentes chutando homem caído ao chão na Vila Leopoldina. Corporação diz que houve reação agressiva à abordagem, mas comportamento dos policiais 'sugere flagrante descumprimento dos protocolos operacionais'

17 jun 2019
19h01
atualizado às 19h10
  • separator
  • 0
  • comentários

SÃO PAULO - Dois policiais militares agrediram um catador de material reciclável na Vila Leolpoldina, zona oeste de São Paulo. As agressões foram filmadas por uma testemunha e as imagens mostram o momento em que os agentes chutam o homem caído no chão, atingindo-o na cabeça e nas costas. A corporação informou nesta segunda-feira, 17, que os policiais foram afastados do serviço e serão investigados pela Corregedoria.

Catador foi agredido com chutes na cabeça
Catador foi agredido com chutes na cabeça
Foto: Reprodução / Estadão

As imagens circularam nas redes sociais nesta segunda, mas o caso aconteceu na tarde do sábado, 15, na Rua Tripoli. De acordo com a Polícia Militar, a viatura foi acionada para o local após uma denúncia de extorsão. Um catador estaria se recusando a remover sua carroça da saída de um veículo até que uma motorista pagasse uma quantia em dinheiro. Segundo a corporação, o catador estaria agitado e agressivo, e teria confirmado que exigiu o pagamento para liberar o caminho do carro.

A filmagem começa quando o homem já está sendo agredido. Em 50 segundos, um dos policiais chuta as costas do homem caído ao chão, enquanto ele está agarrado a perna de um outro agente, que se desvencilha e o atinge com um chute na cabeça. O chute na cabeça do catador se repete. Outra mulher é afastada com um tapa na cara enquanto tenta impedir as agressões dos policiais.

Apesar de ponderar que o catador reagiu com uso de força à abordagem, a Polícia Militar reconheceu que "a ação sugere flagrante descumprimento dos protocolos operacionais padrão de abordagem, o que motivou o imediato afastamento e instauração dos procedimentos legais de apuração", de acordo com nota enviada à imprensa. "Os policiais que participaram da ação foram afastados do serviço operacional até a conclusão das apurações."

A situação motivou posicionamento público do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), a quem o comando da PM responde. "Tive notícia e assisti um vídeo que fiquei muito consternado e muito aborrecido também", diz Doria em uma postagem em seu Twitter. "Dois policiais militares agredindo duas pessoas na região da Vila Leopoldina aqui na capital. Nada justifica o excesso de violência. Todos sabem como eu respeito e admiro a PM de São Paulo, que tem todo meu apoio. Essa ação fugiu ao protocolo. OS policiais já foram afastados e se tiverem que ser punidos, serão punidos", acrescenta.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade