PUBLICIDADE

Apartamento onde idosos foram mortos no Rio tinha sangue nas paredes

Segundo jornal, local estava em desordem; casal foi morto a facadas

26 jun 2022 - 11h44
Ver comentários

O apartamento onde o casal Geraldo Pereira Coelho, de 73 anos, e Oselia da Silva Coelho, de 72, foi morto a facadas na madrugada deste sábado, 25, em um condomínio no bairro do Humaitá, zona Sul do Rio de Janeiro, tinha sangue pelas paredes e estava desarrumado, segundo informou neste domingo, 26, o jornal O Globo.

Segundo o jornal, o quarto onde o suspeito Cristiano da Silva Lacerda, que é oficial da Marinha, foi encontrado também estava sujo de sangue. Cristiano foi preso em flagrante pela morte do casal.

Policiais também encontraram ao lado de Cristiano uma garrafa de bebida alcoólica e a faca que teria sido utilizada no crime, além de remédios ansiolíticos e receitas deste e de outros medicamentos de uso controlado, informou O Globo.

Geraldo Pereira Coelho e Oselia da Silva Coelho foram mortos a facadas na madruga deste sábado.
Geraldo Pereira Coelho e Oselia da Silva Coelho foram mortos a facadas na madruga deste sábado.
Foto: Instagram (Reprodução) / Estadão

O apartamento onde ocorreu o crime seria do filho do casal, o professor de inglês e influenciador digital Felipe da Silva Coelho, que mantinha um relacionamento amoroso com o suspeito e recebia em casa os pais desde o último dia 17.

Policiais militares foram acionados no início da madrugada e encontraram o suspeito pelas mortes inconsciente. Coelho também foi encontrado no prédio, segundo a Polícia Militar, "abalado emocionalmente".

Neste sábado, 25, por volta das 11 horas, Coelho postou nas redes sociais uma foto tirada com os pais no Cristo Redentor. Na legenda, escreveu: "Pra sempre juntos, nos braços do Pai. Meus amores eternos. Nada vai apagar esse amor. Te amo, pai. Te amo mãe". Nos comentários de pesar, familiares e amigos lamentavam o ocorrido.

Em entrevista ao jornal O Globo, Coelho disse que já havia terminado o relacionamento com o suspeito, mas Lacerda, que dividia a moradia com o ex-companheiro, ainda morava no apartamento enquanto buscava outro lugar para morar. O término do relacionamento, em abril, teria acontecido em função de agressões.

Segundo o filho do casal assassinado, ontem, 24, ele tinha ido sozinho a um evento em Ipanema, também na zona sul do Rio, quando recebeu mensagens de Lacerda sobre um mal-estar da mãe, Osélia. Ao retornar para casa, Coelho teria se deparado com a cena do crime e buscou ajuda no condomínio. O filho do casal já prestou um primeiro depoimento na sede da Delegacia de Homicídios, na Barra da Tijuca, zona oeste da capital fluminense.

O crime é investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) da Polícia Civil. A Polícia Militar (PM) informou que o crime aconteceu em condomínio na Rua Pio Corrêa, que fica próxima a uma das entradas do Túnel Rebouças, que liga as zonas sul e norte do Rio.

*Com informações do Estadão Conteúdo 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade