0

Azul terá tarifas mais baratas para quem não despachar malas

9 mar 2017
17h57
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A companhia aérea Azul informou hoje (9) que vai oferecer uma nova opção de tarifa com preços reduzidos para quem não despachar bagagens. A empresa disse que vai continuar oferecendo a franquia de bagagens de 23 quilos em seus voos domésticos e manterá os preços das passagens aéreas praticados atualmente.

Cobrança extra de bagagem entra em vigor em 14 de março
Cobrança extra de bagagem entra em vigor em 14 de março
Foto: Agência Brasil

A permissão para que as empresas aéreas cobrem para despachar as bagagens, aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), vale para quem comprar passagens a partir do dia 14 deste mês. O peso permitido para a bagagem de mão vai passar de 5 quilos para 10 quilos. Entretanto, o Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) entrou com uma ação hoje, em caráter liminar, pedindo a suspensão da regra. O pedido ainda será analisado pela Justiça.

O cliente que optar pela nova categoria Azul pagará mais barato pela passagem na comparação com a tarifa atual e poderá escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada. Se mudar de ideia, o passageiro poderá incluir os 23 kg de bagagem a qualquer momento por R$ 30 e, caso ultrapasse essa cota, será mantida a atual cobrança por quilo excedente.

Nos voos da Azul com destino aos Estados Unidos e à Europa, os clientes poderão despachar dois volumes de 23 quilos cada, no caso da classe econômica, e três volumes de 23kg, para a primeira classe. O volume extra vai custar US$ 100. Para os voos na América do Sul, a franquia será de um volume de até 23 kg de bagagem por cliente, e o volume extra vai custar US$ 50 por volume

Outras empresas

A empresa aérea Latam já informou que ainda este ano passará a cobrar R$ 50 pela primeira mala de 23 quilos despachada pelos passageiros nos voos domésticos. A segunda mala de mesmo peso custará R$ 80. O excesso de peso vai custar entre R$ 120 e R$ 200. Nos próximos meses, o despacho da primeira bagagem de 23 quilos ainda será gratuito, e a cobrança será apenas sobre o excesso.

A GOL já anunciou que terá uma classe tarifária mais barata para aqueles clientes que não despacharem bagagens, mas manterá a opção de envio de volumes ao adquirir o bilhete, mediante cobrança de tarifas do passageiro. Os valores dos volumes despachados ainda serão definidos.

A Avianca Brasil informou que implementará as novas regras aprovadas pela Anac no prazo determinado. Por meio de nota, a companhia afirmou que compromete-se a informar os clientes sobre as mudanças em tempo hábil e de forma ampla e transparente.

Veja também:

Em 'live' com alvos de ação do STF, Eduardo Bolsonaro cita 'momento de ruptura'
Agência Brasil Agência Brasil
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade