PUBLICIDADE

Bolsonaro causa aglomeração em evento no interior de SP

Dezenas de pessoas estavam sem máscara, incluindo o presidente; Segundo regras do Estado, cidade ainda não permite convenções

3 set 2020 14h06
| atualizado às 14h22
ver comentários
Publicidade

PARIQUERA-AÇU - O governo federal realizou nesta quinta, 3, um evento presencial para apresentar a cerca de 2 mil pessoas um slideshow com vídeos do projeto de uma ponte em Pariquera-Açu, no Vale do Ribeira, interior de São Paulo. O município de 19 mil habitantes, que já registrou 520 casos do coronavírus e nove mortes, está na fase na 2, laranja, do protocolo de combate à pandemia no Estado. Eventos e convenções só são permitidos após 28 dias consecutivos da região na fase 3, amarela.

A prática de aparecer sem máscara protetora já é comum por parte do presidente da República, Jair Bolsonaro
A prática de aparecer sem máscara protetora já é comum por parte do presidente da República, Jair Bolsonaro
Foto: EDU ANDRADE/FATOPRESS / Estadão Conteúdo

Houve aglomeração e dezenas de pessoas estavam sem máscara, incluindo o presidente Jair Bolsonaro, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o ministro da Justiça, André Mendonça. Apesar de as falas no evento terem sido breves - o presidente discursou por três minutos na cerimônia de 15 minutos -, apoiadores de Bolsonaro se aglomeraram nas grades de proteção para abraçar e tirar fotos com o presidente antes e depois da cerimônia.

A assessoria do Planalto informou que cerca de mil cadeiras foram disponibilizadas na plateia. A cada dois assentos, estavam colados avisos para que as pessoas não se sentassem, mas foram ignorados. O sistema de som não emitiu nenhum tipo de orientação para o distanciamento social durante o evento.

"Os protocolos setoriais do Plano São Paulo são fundamentados em critérios técnicos e de saúde, com objetivo de controlar as taxas de contaminação pelo novo coronavírus", informa o governo do Estado de São Paulo. "Sobre eventos, convenções e atividades culturais, o governo de São Paulo informa que é permitido o funcionamento após 28 dias consecutivos da região na fase amarela, o que não é o caso de Pariquera-Açu, que se encontra na fase laranja."

O presidente ainda tem na agenda desta quinta um evento similar em Eldorado e, na sexta, visita sedes do Sistema S em Registro. Antes do evento em Pariquera-Açu, a comitiva desceu do helicóptero em Tapiraí, próximo a Sorocaba, sem compromisso oficial. Também houve aglomeração.

"Independentemente da importância do projeto, colocar pessoas juntas hoje em dia é temerário. Não é desejável, ainda mais em lugares de transmissão ativa", diz o infectologista Celso Granato, do grupo Fleury. "Na Europa, mesmo em lugares onde a situação já estava melhor, como na Espanha e Alemanha, foi só descuidar e os casos aumentaram."

A prefeitura de Pariquera-Açu informou que apenas atendeu aos requisitos do Planalto para a realização do evento. A Secretaria de Comunicação do governo federal foi contatada, mas não retornou até a publicação desta matéria.

A ponte sobre o rio Pariquera-Açu receberá R$ 14,3 milhões de recursos federais e é apontada como uma possível solução para desafogar o tráfego de veículos no município e região e para a contenção de enchentes. Ninguém no evento falou sobre uma previsão de início das obras da ponte.

De acordo com a prefeitura, parte da documentação ainda está sendo enviada para a Caixa Econômica Federal e a previsão é que a obra tenha início em março e a previsão de entrega é o segundo semestre de 2023.

 

Estadão
Publicidade
Publicidade