PUBLICIDADE

Lateral do Corinthians é preso por injúria racial contra Edenilson

Rafael Ramos pagou R$ 10 mil após ser autuado por agentes da Polícia Civil no vestiário do Beira-Rio após volante do Inter prestar queixa

15 mai 2022 01h20
| atualizado às 13h47
ver comentários
Publicidade
Edenilson, do Internacional, discute suposto caso de rascismo com Rafael Ramos, do Corinthians
Edenilson, do Internacional, discute suposto caso de rascismo com Rafael Ramos, do Corinthians
Foto: Max Peixoto/Dia Esportivo / Estadão

O lateral-direito português Rafael Ramos, do Corinthians, foi preso em flagrante por agentes da Polícia Civil no fim da noite deste sábado, no vestiário do estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. O jogador foi autuado após o volante Edenilson, do Internacional, prestar uma queixa-crime contra o jogador, alegando ter sido chamado de "macaco" pelo atleta durante o empate em 2 a 2 entre as equipes, pelo Brasileirão. Ele pagou uma fiança no valor de R$ 10 mil e foi liberado.

A informação foi confirmada pelo delegado Carlo Vitarelli, que falou com jornalistas logo após o depoimento do jogador do Internacional. Ele explicou que como o atleta corintiano foi autuado por injúria racial, diferentemente do crime de racismo, inafiançável por lei, ele teve a possibilidade de ser liberado mediante o pagamento da fiança.

Rafael Ramos falou brevemente com a imprensa antes de deixar o Beira-Rio. Segundo o jogador português, a situação foi um mal entendido e ele confirmou que conversou com Edenilson após a partida.

"Estou aqui de cabeça e consciência limpa. Foi apenas um mal entendido entre mim e o Edenilson. Falei com ele ao final do jogo e expliquei para ele a verdade, o que eu tinha dito. Ele me disse que tinha receio de passar como mentiroso, mas eu o disse que ele não seria 'mentiroso', apenas entendeu errado o que foi dito. Apertamos as mãos e foi isso", disse o jogador, deixando o local em seguida antes mesmo que a imprensa pudesse fazer qualquer pergunta. Minutos depois, ele também se manifestou nas redes.

Em nota oficial, o Corinthians afirma que Rafael Ramos foi ouvido pelo clube e deu versão diferente da apresentada por Edenilson. O clube paulsita ressalta que repudia e não compactua com o racismo. Tanto o Corinthians quanto o lateral "continuarão a colaborar com as autoridades, certos de que tudo será esclarecido o mais rapidamente possível", diz o comunicado.

Entenda o caso

O volante Edenilson, do Internacional, alega ter sido chamado de "macaco" pelo lateral-direito Rafael Ramos durante o segundo tempo do empate por 2 a 2 com o Corinthians, pelo Brasileirão. A partida seguiu normalmente, mas ao fim do jogo o atleta colorado decidiu prestar queixa contra o jogador corintiano.

Segundo relato de Edenilson nas redes sociais, ele procurou Ramos no vestiário e pediu que o lateral se desculpasse. O jogador português teria se desculpado "por alguma possível" ofensa, mas não pelo termo racista.

O árbitro da partida, Braulio da Silva Machado, relatou na súmula da partida que Edenilson o informou que Rafael Ramos teria dito a ele a frase "foda-se macaco", mas o jogador do Corinthians afirmou que na verdade disse "foda-se caralh*". Ainda de acordo com o árbitro, a partida seguiu sem nenhum tipo de punição porque ele não conseguiu ouvir a real frase por causa do barulho da torcida e da distância que estava dos atletas.

Estadão
Publicidade
Publicidade