PUBLICIDADE

Família de jovem estuprada após ser deixada desacordada em rua desabafa: 'Jogada como um saco de lixo'

Suspeito de abusar da vítima de 22 anos foi preso em flagrante; audiência de custódia será realizada ainda nesta terça-feira, 1º de agosto

1 ago 2023 - 15h41
(atualizado às 17h01)
Compartilhar
Exibir comentários
Familiares da vítima de 22 anos concederam entrevista ao 'Encontro com Patrícia Poeta' nesta terça-feira, 1.º de agosto. 
Familiares da vítima de 22 anos concederam entrevista ao 'Encontro com Patrícia Poeta' nesta terça-feira, 1.º de agosto.
Foto: Reprodução/Globoplay

A família da jovem de 22 anos estuprada após ser deixada desacordada em rua de Belo Horizonte criticou o comportamento do motorista de aplicativo e dos médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), durante entrevista ao Encontro com Patrícia Poeta, da TV Globo, nesta terça-feira, 1º de agosto. 

"Minha irmã está completamente destruída. Vamos ter que catar os cacos da minha irmã para conseguir colocar ela de pé de novo. Minha família está destruída, completamente desestruturada", disse Kelly, irmã da vítima. 

A família também criticou a atitude do motorista por não ter levado a jovem desacordada ao Hospital Municipal Odilon Behrens, que fica a poucos metros da rua da casa dela, onde foi deixada sozinha.

"Minha irmã foi jogada ali como um saco de lixo, como se fosse um saco de lixo colocado para o lixeiro levar. Todo mundo fala que ele tentou chamar [tocou a campainha], ele não tentou porque se ele quisesse ele teria tocado a buzina, teria feito barulho", disse a familiar. "Por que ele não retornou a chamada para a pessoa que pediu o carro e disse 'eu não estou conseguindo entregar essa pessoa?'", questionou o cunhado da vítima. 

A jovem foi encontrada desacordada na manhã do domingo, 30, quando uma vizinha a viu deitada no campo de futebol nos arredores. O Samu foi acionado às 7h da manhã. 

"O Samu foi até o local, viu que ela estava com a calça arreada até o joelho, deitada desacordada e não acionou a polícia [..]  Acordaram minha irmã, atordoada, seminua, e ela pediu pra levar em casa. Eles falaram que não podiam fazer isso, só levar no hospital", destacou Kelly. "Eles deixaram ela sozinha, ela teve que procurar a casa sozinha com a ajuda de uma pessoa que ficou sensibilizada, eu cheguei e me deparei com a minha irmã toda suja, com o cabelo todo vomitado", lembrou a irmã em meio a lágrimas. 

O caso é investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais, e uma audiência de custódia deve acontecer no Fórum da capital, nesta terça, por volta das 18h, para definir se o suspeito continuará preso. O homem de 47 anos foi preso em flagrante suspeito por estupro de vulnerável. Câmeras de segurança mostram o momento em que a vítima é levada pelo investigado. O crime ocorreu na madrugada do domingo. 

Entenda o caso 

A vítima de 22 anos assistiu a um show com amigos na noite de sábado, 29, na capital mineira. Na madrugada do domingo, ela foi colocada pelos amigos em um carro de aplicativo. A jovem estava embrigada e recusou ser acompanhada pelos amigos. Os colegas compartilharam o trajeto da corrida com o irmão dela, que estava em casa, mas havia tomado remédios para asma e acabou dormindo. 

Ao chegar no endereço, o motorista tentou contato diversas vezes com o irmão da jovem para buscá-la no carro, tanto por telefone, quanto pelo interfone, mas não conseguiu retorno do familiar. Ele, então, deixou a menina na porta de casa e foi embora. 

A vítima ficou agachada e inconsciente, quando o suspeito passou pela rua, viu a jovem desacordada e a levou carregada pelos ombros até um campo de futebol próximo à residência dela. No local, abusou sexualmente dela. A jovem relatou à polícia que não se lembra do abuso, mas acordou pela manhã atordoada com um cobertor sobre seu corpo e com as calças abaixadas. 

6 mitos sobre estupro que beneficiam os agressores 6 mitos sobre estupro que beneficiam os agressores

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade