PUBLICIDADE

Endrick apaga postagem após denunciar racismo contra família em jogo do pré-olímpico

Atacante divulgou imagem de torcedor com camisa da Venezuela imitando macaco

9 fev 2024 - 01h49
(atualizado às 01h51)
Compartilhar
Exibir comentários
Torcedor com camisa da Venezuela fez gesto racista em direção a família de Endrick
Torcedor com camisa da Venezuela fez gesto racista em direção a família de Endrick
Foto: Reprodução/Instagram

O atacante Endrick denunciou que a família foi alvo de racismo durante a vitória do Brasil contra a Venezuela pelo Pré-Olímpico. Pouco tempo depois da postagem no Instagram, ele apagou a publicação. 

Inicialmente, o camisa 9 da Seleção divulgou a imagem de um torcedor com a camisa da Venezuela fazendo gesto de macaco em diração ao seu pai e tio, que acompanharam a partida no estádio Brigido Iriarte, em Caracas.

"Infelizmente aconteceu com a minha família e amigos, mas Deus sabe de todas as coisas", escreveu. "Desculpa, pai, por esse momento. Desculpa, padrinho, por esse momento", completou o atacante, que ainda marcou o perfil da Conmebol. 

O vídeo ainda mostra que um mulher grita "racista" algumas vezes em direção ao torcedor venezuelano. 

Em nota, a CBF condenou o ataque racista: "A CBF repudia os atos de racismo cometidos contra familiares do jogador Endrick ocorridos na noite dessa quinta-feira no Estádio Brígido Iriarte, em Caracas, durante e após o jogo em que a Seleção Brasileira Pré-Olímpica venceu a Venezuela por 2 a 1.

As manifestações de criminosos com camisas da seleção adversária eram dirigidas notadamente ao pai de Endrick, Douglas Ramos. Eles faziam gestos imitando macacos.

Tão logo informado sobre o episódio, o chefe da delegação da Seleção Brasileira na Venezuela, Daniel Vasconcelos, em nome do presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, se solidarizou com o atleta e seus familiares.

A CBF foi a primeira entidade nacional de futebol do mundo a adotar no Regulamento Geral de Competições a possibilidade de punir esportivamente um clube em caso de racismo. A novidade foi incluída no RGC de 2023.

Desde 2022, a CBF faz uma série de campanhas de combate ao racismo no futebol. E conta com um Grupo de Trabalho que discute de forma permanente o assunto."

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade