PUBLICIDADE

"Carinha de macaco": funcionária de escola estadual é acusada de racismo

"Não pode ser nenhum outro bicho, tem que ser um macaco só porque ele é preto", disse uma aluna

23 jun 2023 - 13h19
(atualizado às 14h06)
Compartilhar
Exibir comentários
Deputado estadual Renato Freitas (PT-PR) protocolou pedido para afastamento de agente educacional
Deputado estadual Renato Freitas (PT-PR) protocolou pedido para afastamento de agente educacional
Foto: Reprodução: Facebook/Renato Freitas

Nesta quarta-feira, 21, uma funcionária da escola estadual Lysimaco Ferreira da Costa, em Curitiba, foi filmada em vídeo dizendo a um aluno do nono ano que ele ficou com “carinha de macaco”. A fala foi dita após ela tentar entregar um papel ao adolescente. 

A funcionária foi confrontada pelos alunos que disseram que ela ofendeu o estudante desnecessariamente e também foi chamada de racista. “Não pode ser nenhum outro bicho, tem que ser um macaco só porque ele é preto”, disse uma aluna. Após isso, a funcionária disse que poderia ter falado “por que essa cara de cachorro?” e que o estudante “nem é tão negro assim”. 

Renato Freitas (PT-PR), deputado estadual e presidente da Comissão da Igualdade Racial na Assembleia Legislativa do Paraná, protocolou um pedido de instauração de sindicância para que a funcionária seja afastada. “Não permitiremos que os jovens continuem sendo vítimas dos racistas em um ambiente que deveria ser um espaço seguro e acolhedor para todos”, escreveu. 

Segundo a assessoria do deputado, a mãe de uma aluna que estava presente na ocasião registrou um boletim de ocorrência e participou de uma reunião na escola. A Comissão recebeu os documentos e fará um requerimento para que a Secretaria Estadual de Educação acompanhe o andamento do caso, de acordo com o site UOL.

O Terra NÓS entrou em contato com a Escola Estadual Lysimaco Ferreira da Costa pedindo um posicionamento. Em nota, o diretor geral Jailson Neco escreveu: "A direção do colégio, assim como todos os demais servidores, repudia toda e qualquer forma de violência contra a pessoa humana. A escola é um lugar sagrado de promoção da paz e da igualdade entre as pessoas. Este episódio, em que pese seja um fato isolado, evidencia o quanto ainda temos a crescer no que se refere ao respeito ao outro. Esta semana, intensificamos o debate sobre o tema e lançamos com isso a esperança de que fatos como estes não se repetirão". 

Fonte: Redação Nós
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade