PUBLICIDADE

"A gente não tem o direito e a obrigação de mudar ninguém", afirma a cantora Pepita

Pepita debateu sobre relacionamento na estreia do programa "Cartas Para Pepita"; o humorista Esse Menino foi o primeiro convidado

13 nov 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
"Não pode ser assim, um relacionamento não é assim", diz Pepita
"Não pode ser assim, um relacionamento não é assim", diz Pepita
Foto: Divulgação

A cantora Pepita, de 40 anos, uma das primeiras funkeiras trans do Brasil, retornou com o seu programa "Cartas Para Pepita", que estreou nesta quarta-feira, 8, no Terra. O programa nasceu nas redes sociais da cantora e se tornou livro em 2019.

Eita! Cartas Para Pepita estreia no Terra com Esse Menino :

O programa é dividido em três partes: leitura das cartas de fãs, um novo quadro chamado “Fala, povo!” e entrevistas com convidados especiais. Em cada episódio, Pepita irá ler cartas de fãs sobre um tema específico e dará conselhos sobre a situação. Os convidados do "Cartas Para Pepita" também irão debater o tema e contar suas histórias.

A vivência da cantora foi sua grande "professora" e a preparou para comandar o seu programa, e também ajudar outras pessoas. "Eu vou fazer a minha missão acontecer. Não adianta eu ficar triste, não adianta eu ficar deprimida, é isso que o outro quer ver acontecendo comigo, mas eu sou mais do que isso", disse ao Terra NÓS.

Muito além de funkeira: quem é Pepita Muito além de funkeira: quem é Pepita

"Quando alguém me diz que eu não sou mãe, quando alguém me diz que eu não sou mulher, [penso que] eu sou um ser humano que merece respeito, mereço estar sentada aqui nesse sofá e comandar esse programa. Eu nunca fiz mal para ninguém", contou Pepita.

No programa de estreia, o humorista e influenciador digital Esse Menino, de 27 anos, esteve presente para debater o tema "relacionamento". Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, ele é abertamente gay e ativista dos direitos da comunidade LGBTQIA+.

Carta 1

Na primeira carta lida pela cantora Pepita, uma mulher relatou o momento reflexivo pelo qual está passando. Andressa, de 24 anos, é moradora do Méier, no Rio de Janeiro, e pediu conselhos sobre como lidar com a situação em que se encontra atualmente. 

"Durante a pandemia, eu me envolvi com um rapaz com quem passei muito tempo e acabamos namorando. Ele sempre foi incrivelmente doce, gentil, atencioso, nunca fui tão amada", diz a carta de Andressa.

"Ele foi promovido no trabalho, o que me deixou muito feliz por ele. No entanto, o trabalho começou a consumir seu tempo todo e aos poucos fomos nos afastando. Não estava me sentindo bem por não ser mais a prioridade em sua vida e por isso tomei a decisão de terminar", continuou.

Cerca de dois meses depois após o término, Andressa se envolveu com outra pessoa: o seu chefe. "E essa relação perdura até hoje. Não estou verdadeiramente feliz, sinto saudades do ex. Apesar do carinho que ele ainda demonstra por mim, estou com medo de tentar reacender as coisas e enfrentar o risco de não ser aceita de volta", finalizou.

"Será que ele vai continuar a ser a mesma coisa? Ou é amor de pele?", refletiu Pepita
"Será que ele vai continuar a ser a mesma coisa? Ou é amor de pele?", refletiu Pepita
Foto: Divulgação

Em resposta, Pepita refletiu: "Ela já está com uma outra pessoa, mas ainda sente falta de uma ex-relação que passou pela vida dela e não acrescentou em nada". A cantora ainda acrescentou dizendo que se a mulher está vivendo nessa nova relação, ela deveria continuar vivendo.

"A gente não tem o direito e a obrigação de mudar ninguém, e querer que a pessoa mude pela gente. Se quando ele estava desempregado ele era um amor, hoje ele deve estar com um cargo maior onde trabalha. Será que ele vai continuar a ser a mesma coisa? Ou é amor de pele?", afirmou Pepita.

A apresentadora finalizou a leitura da carta com uma reflexão para o público: "Você acha que você tem o direito e a obrigação de mudar o seu parceiro? Ou o seu companheiro?".

Carta 2

Na segunda e última carta, Pepita leu a história de Ramon, de 27 anos, que namora há cinco anos com seu parceiro. "Eu amo meu namorado e sei que é recíproco. Porém começamos a pensar se não estava na hora de apimentar a relação e dar aquela renovada, colocando uma terceira pessoa naqueles momentos mais íntimos", diz a carta.

"Pois conhecemos um rapaz num app que topou. Curtimos ele e vice-versa, tanto que saímos os três mais algumas vezes. Meu namorado até propôs um relacionamento a três, mas não acho que eu quero isso, não", continuou.

Segundo Ramon, ele comentou com o namorado sobre não querer um relacionamento a três. No entanto, depois disso, a relação dos dois esfriou. "Aceito esse relacionamento e vejo se eu curto ou tento descobrir porque o meu namorado ficou estranho comigo?", questionou ele.

"É tão fácil a gente fazer o outro rir ou sorrir e a gente?", diz Pepita
"É tão fácil a gente fazer o outro rir ou sorrir e a gente?", diz Pepita
Foto: Divulgação

Para a cantora, "é tão fácil a gente fazer o outro rir ou sorrir e a gente?". O erro já começa quando a pessoa tenta se moldar para se encaixar em uma relação, diz ela. "A escolha foi de vocês dois, em um comum acordo, vamos fazer essa relação a três. Mas, de repente, você viu que não era isso que você queria, era mais pele", afirmou.

"O namorado criou o trisal que ele queria, mas você não está se sentindo confortável. Não foi à toa que você falou para mim que essa relação esfriou um pouco de ambas as partes. Você com o seu namorado estava intenso, mas ele com você deu uma esfriada", disse ela.

Pepita ressaltou que o primeiro passo resolver essa situação é chamar o namorado para conversar e, em seguida, entender "o ponto que foi colocado nessa frase que só ele escreveu". 

"Você vai entender onde você entra nessa relação, mas nunca, de maneira nenhuma, você de casa e você que me mandou essa história, crie uma moldura para agradar o companheiro. Não pode ser assim, um relacionamento não é assim", finalizou a apresentadora.

Pepita: “Nunca imaginei que o Cartas chegaria tão longe!":
Fonte: Redação Nós
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade