PUBLICIDADE

Colecionadores explicam apelo dos jogos retrô

Fãs de games dos anos 90 explicam porque consoles antigos são tão desejados

5 jul 2022 - 08h57
(atualizado às 08h58)
Ver comentários
Gusang, do canal AssopraFitas, tem mais de 4 milhões de inscritos no YouTube
Gusang, do canal AssopraFitas, tem mais de 4 milhões de inscritos no YouTube
Foto: Game On / Divulgação

Com cada vez mais pessoas jogando games digitais no celular e as plataformas atuais, como o PC, PlayStation 5 e Xbox Series X, entregando experiências gráficas incomparáveis, é digno de nota como muita gente busca diversão à moda antiga, colecionando e jogando em consoles como Mega Drive, Super Nintendo e outras plataformas dos anos 80 e 90.

O Game On esteve no Festival Retro Games Brasil, em São Paulo, onde conversamos com Gusang, do canal AssopraFitas, e Celso Affini, do canal Defenestrando Jogos, para entender melhor o apelo dos jogos retrô nos dias de hoje, em que distribuição digital, games gratuitos e partidas online são a regra.

Para Gusang, é o próprio formato digital dos games atuais que faz despertar o fascínio pelos jogos antigos. "Vem muito do capricho dos produtos, da embalagem, do encarte, manual", aponta o youtuber. "E muitos gêneros de jogos estão em falta no mercado, os games antigos preenchem esse espaço".

Para Celso, a nostalgia é um fator importante. "É um ciclo, as pessoas vão envelhecendo e sentem saudades do que tinham, ou mais ainda, do que não tinham", comenta. "Tem essa busca pelo que eu não tive naquela época, ou pelo que eu tive e vendi e quero de novo. Isso está acontecendo agora com o CD, tivemos a época do colecionador de vinil, agora é a vez da geração que cresceu com o CD".

Celso aponta que nos EUA, por exemplo, é a vez do PlayStation 2. O console foi o maior fenômeno da sua geração e agora, a busca por aparelhos e jogos de PS2 está explodindo entre os colecionadores norte-americanos.

Celso, do canal Defenestrando Jogos, coleciona games desde jovem
Celso, do canal Defenestrando Jogos, coleciona games desde jovem
Foto: Game On / Divulgação

"É uma questão cíclica", reforça. "Daqui alguns anos, a molecada que jogava Minecraft vai querer reviver essa experiência, vai ir atrás da mídia física e de colecionáveis, vai abrir servidor para jogar e matar a saudade".

Os dois são bastante conhecidos pelos fãs de jogos antigos por produzirem conteúdo sobre games e consoles retrô e, é claro, também são colecionadores destes produtos.

"Eu fui comprando com o tempo, as locadoras foram fechando e eu aproveitei os ótimos preços da época, conforme as locadoras migraram para outros modelos, como lan house. Hoje eu tenho uns 200 jogos, já tive mais de 500 mas vendi muitos", relembra Celso.

Perguntado sobre valores, o youtuber contou que com a venda de seus jogos, conseguiu se mudar, reformar a casa, comprar acessórios para os videogames. "Eu sempre quis uma coleção funcional, que eu jogasse, para reviver o passado", explica.

 

 

Por sua vez, Gusang começou uma coleção mais tarde, cerca de dois anos atrás. "Eu sempre tive videogame, mas nunca guardei, meus pais doavam pra alguém", relembra o youtuber. "Minha coleção tem os consoles principais, mas é muito fraca, depois que você conhece os caras que colecionam, eles tem muita coisa, são muito loucos".

Celso também aponta que hoje encontrar jogos e consoles antigos está mais fácil, por causa dos fóruns e grupos na internet. Para ele, as gerações futuras terão ainda mais facilidade em buscar os artigos do seu passado.

"Os pais vão entender melhor, antigamente tinha muito preconceito, quem é pai agora já entende melhor essa paixão", pondera o criador de conteúdo.

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade