PUBLICIDADE

Motociclismo

Aprilia diz que "melhorou como companhia" e conta segredo: "Trabalhamos duro"

Massimo Rivola afirmou que a casa de Noale não fez nada de especial para dar o salto de performance que marcou a temporada 2022 da MotoGP, mas reconheceu que o reforço no quadro de funcionários da equipe fez toda a diferença

28 dez 2022 - 09h46
Compartilhar
Exibir comentários
Aprilia deu um enorme salto de performance na temporada 2022 da MotoGP
Aprilia deu um enorme salto de performance na temporada 2022 da MotoGP
Foto: Aprilia / Grande Prêmio

Massimo Rivola avaliou que a Aprilia conseguiu ser mais competitiva na temporada 2022 da MotoGP, pois melhorou "como companhia". O diretor-executivo da divisão de corridas considerou que o reforço no quadro de funcionários fez toda a diferença no desempenho da RS-GP.

Ao longo da temporada, a Aprilia esteve entre as protagonistas e chegou a sonhar com o título com Aleix Espargaró, que deu à casa de Noale a primeira vitória na MotoGP — no GP da Argentina. No total, o catalão conquistou duas poles e outros cinco pódios — todos pelo terceiro lugar.

Massimo Rivola celebrou o ano positivo da Aprilia na MotoGP
Massimo Rivola celebrou o ano positivo da Aprilia na MotoGP
Foto: Divulgação/MotoGP / Grande Prêmio

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Na reta final da temporada, porém, os italianos cometeram muitos erros, o que acabou impedindo o irmão de Pol de manter o terceiro lugar na classificação do Mundial de Pilotos. Com um abandono no GP da Comunidade Valenciana, causado por um problema mecânico, o pai dos gêmeos Max e Mia foi superado por Enea Bastianini e acabou em quarto na classificação.

Mesmo assim, foi um salto e tanto para a Aprilia, que fechou 2022 com o terceiro lugar no Mundial de Construtores, com 200 pontos a menos do que a campeã Ducati. Os italianos ficaram à frente, por exemplo, de KTM, Suzuki e da gigante Honda.

"Somos mais rápidos, pois melhoramos como companhia", disse Rivola em entrevista à publicação alemã 'Speedweek'. "Não é segredo que temos contratado pessoas desde que eu cheguei. Muitas vêm até nós diretamente da universidade, mas também têm alguns perfis mais experientes, vindos da MotoGP e da Fórmula 1", apontou.

"A questão é como podemos continuar a crescer nesta direção. Este é o desafio", frisou.

Apesar do bom passo, Rivola não mostrou surpresa, mas assume que a Aprilia deu sorte também pela falta de evolução de algumas das adversárias.

"Como eu sempre digo, a cada ano nós temos o anterior como ponto de referência, então tínhamos um algo. O mais difícil será o próximo ano", indicou. "Claro, também demos um pouco de sorte, pois alguns dos nossos adversários não melhoraram a performance deles como nós esperávamos, então atraímos mais atenção do que esperamos. Mas a nossa performance foi muito próxima da minha expectativa. Talvez eu não esperasse que fossemos tão competitivos em algumas pistas em meados da temporada e, também, que fossemos tão mal no fim do campeonato", reconheceu.

Questionado sobre qual foi a chave, em termos de gestão, que permitiu que a Aprilia desse esse salto de performance, Massimo respondeu: "Em uma companhia com um pouco mais de funcionários, é mais fácil conseguir que as pessoas façam bem os seus trabalhos".

"A minha primeira meta era tirar de Romano Albesiano tudo que não estava diretamente relacionado à performance da moto. Eu disse à ele que não era mais necessário se preocupar com questões organizacionais, gestão esportiva e os pilotos", detalhou. "Não acho que tenhamos feito algo especial, como podem pensar de fora. O maior segredo do nosso sucesso é que trabalhamos duro, de manhã até a noite, e fizemos isso todos os dias. É uma questão de lembrar as pessoas que isso é possível se você trabalhar duro", encerrou.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Compartilhar
Publicidade
Publicidade