0

Pelas pontas, Palmeiras tem melhor desempenho ofensivo em sete anos

Time não conseguia fazer seis gols desde março de 2012 e alcançou 6 a 2 diante do CSA, nesta quinta-feira, no Pacaembu, graças à estratégia de Mano Menezes de abrir o jogo

26 set 2019
21h42
atualizado às 21h42
  • separator
  • 0
  • comentários

O Palmeiras conseguiu dois títulos brasileiros nos últimos três anos, mas nunca confirmou seu favoritismo com tanta superioridade como se viu nesta noite. O Verdão fez 6 a 2 diante do CSA, com 4 a 0 só no primeiro tempo, alcançando um desempenho ofensivo que não conseguia há mais de sete anos. Muito graças a uma aposta que é novidade com Mano Menezes: jogar pelas pontas.

Palmeiras controlou a partida, como se acostumou a fazer, e achou o caminho pelas pontas (Cesar Greco/Palmeiras)
Palmeiras controlou a partida, como se acostumou a fazer, e achou o caminho pelas pontas (Cesar Greco/Palmeiras)
Foto: Lance!

Diferentemente da saída de bola basicamente apostando no lançamento para o centroavante, o Verdão encarou um time que está na zona de rebaixamento ocupando totalmente seu campo. Quando a bola saía de Weverton, nem Diogo Barbosa estava no campo de defesa. O lateral-esquerdo já abria na ponta, com Dudu do outro lado, deixando para Jean (substituto de Marcos Rocha, suspenso), Gustavo Gómez, Vitor Hugo, Bruno Henrique e Felipe Melo a função de iniciar a jogada na frente.

Foi dessa forma que uma goleada que há muito tempo não era vista se construiu. A última vez que o Palmeiras marcou seis gols foi em outra vitória por 6 a 2, com Luiz Felipe Scolari no comando, mas no começo da década: bateu o Botafogo de Ribeirão Preto, fora de casa, pelo Campeonato Paulista, em 11 de março de 2012 (Marquinhos, contra, Maikon Leite, Barcos, duas vezes, Ricardo Bueno e Juninho marcaram).

Em Campeonatos Brasileiros, a marca não vinha há quase 14 anos. Em 20 de novembro de 2005, outro 6 a 2 como visitante, diante da Ponte Preta, com Daniel, Warley, Juninho Paulista, Washington, duas vezes, e Baiano balançando as redes. Sem contar partidas oficiais, houve um 6 a 0 no ano passado, em 8 de julho, em amistoso diante Liga Alajuelense, na Costa Rica.

Marcas que vieram muito por conta de Mano Menezes. E tudo que o técnico trabalhou foi visto dentro de campo. Não à toa, cinco dos seis gols vieram de jogadas pelas pontas. A exceção veio depois de cobrança de escanteio de Dudu, que Felipe Melo ajeitou para Gustavo Gómez cabecear e fazer 4 a 0, aos 47 do primeiro tempo.

Ali, a partida já estava resolvida. Com seis minutos, Dudu cruzou da direita para Luiz Adriano abrir o placar. Com 11, Weverton lançou Gustavo Scarpa na direita, Dudu recebeu, ajeitou de calcanhar para Scarpa cruzar e Bruno Henrique dominou para Willian ampliar. Aos 29, o passe veio do outro lado, com Diogo Barbosa levantando da esquerda para Bruno Henrique fazer.

Obviamente, o confronto estava completamente definido na volta do intervalo, com 4 a 0 no placar. O Verdão não teve a mesma força nas divididas, embora se esforçasse para continuar no campo adversário. Apodi fez um golaço, aos sete, e acordou o Palmeiras. Mano renovou forças com Lucas Lima, Hyoran e Matheus Fernandes nos lugares de Gustavo Scarpa, Willian e Felipe Melo. Com fôlego, vieram os gols de Luiz Adriano e Bruno Henrique, com Lucas Lima e Dudu, respectivamente, cruzando da esquerda. E Luiz Adriano ainda desperdiçou duas oportunidades claras.

Desnecessário repetir como o time ganha com um centroavante muito mais eficiente na finalização como Luiz Adriano. Ou capacidade de controlar o jogo mantendo mais a bola nos seus pés. A goleada se construiu ocupando o campo adversário. E Mano achou o caminho: pelos lados.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade